A temporada 2003 já começou para o Paraná Clube. Nos próximos onze dias, a comissão técnica dará especial atenção ao condicionamento físico dos atletas. O grupo, formado por 28 jogadores, se reapresentou ontem pela manhã. Não se trata de uma formação definitiva, mas esta é a base para as disputas do campeonato paranaense, Copa do Brasil e campeonato brasileiro. Além dos juniores promovidos ao elenco principal, o Tricolor apresentou o primeiro reforço: o meia-esquerda Hadson.

Natural de Belém, o jogador de 21 anos passou pelas categorias de base de Corin-thians e Flamengo e atuou duas temporadas no futebol suíço, onde defendeu o FC Basel. O meia já enfrentou o Paraná, no início do ano, pela Copa São Paulo de Juniores. Marcou dois gols na vitória do Remo que determinou a desclassificação do time paranaense do torneio. “Há algum tempo os contatos vinham sendo mantidos e agora a transação foi definida. Estou feliz e sei que vou poder conquistar meu espaço, com muita dedicação”, disse Hadson, que estava atualmente no Clube do Remo.

A juventude do grupo será compensada com os reforços que virão para dar estabilidade principalmente ao setor de meio-de-campo. O Paraná Clube irá, a princípio contratar somente três jogadores. O técnico Caio Júnior pediu um lateral-direito e dois meias-de-criação. “Não adianta buscar quantidade sem qualidade. É preciso agir com precisão para não errar”, disse Caio Júnior à Tribuna. Ele indicou pelo menos quatro nomes ao presidente Enio Ribeiro de Almeida. Um deles é o próprio Alexandre, do Atlético-MG, que seria incluído numa possível transferência de Lúcio Flávio para a equipe mineira.

“Seria um excepcional reforço. O conheço do período em que trabalhei no Coritiba e ele se encaixaria como uma luva na nossa equipe”, analisou Caio. O presidente paranista assina embaixo e a contratação de Alexandre é hoje uma prioridade, apesar de estar vinculada a cessão de Lúcio Flávio. “Creio que todas as partes envolvidas sairiam ganhando com este negócio. Mas, ainda estamos em uma etapa inicial. Há muito o que conversar”, disse Enio Ribeiro. O procurador de Lúcio Flávio, o ex-volante do Paraná, Ney Santos, confirmou que foi autorizado a conversar com o Atlético Mineiro.

Elenco com cara tricolor

A juventude continua sendo a marca registrada do elenco tricolor. Desta vez, num grau ainda maior. Dos 28 atletas, somente sete não foram formados nas categorias de base do Paraná Clube. O grupo atual terá sete jogadores promovidos agora dos juniores, sem contar outros quatro que já compuseram o elenco que disputou o último Brasileirão. O excesso de zagueiros e volantes fará com que a comissão técnica ainda processe alguns ajustes.

As “caras-novas” do Paraná são Bader (goleiro), Elias (zagueiro), Anderson (lateral-esquerdo), Maycon (volante), Róbson e Éverton (meias) e Edivaldo (atacante). Eles se juntam à Wiliam (lateral e meia), Fernando (zagueiro) e Waldir e Dennys (atacantes) na composição na nova geração paranista. O elenco conta ainda com outro garoto: o lateral-direito George, que já atuou pelo Malutrom, passará por um período de avaliações. “Não tenho medo algum de trabalhar com um grupo jovem assim. São jogadores de muita qualidade e que vão dar resposta que estamos esperando.

Para dar um maior equilíbrio, a comissão terá ainda a presença dos zagueiros Ageu e Roberto. Como estava emprestado à Portuguesa até o fim do ano, Ageu só deve se apresentar no início de janeiro. Roberto já está trabalhando e deve definir hoje a reforma contratual com o Paraná, assim como Weligton (zagueiro) e Marcelo Camargo (atacante). Os três já mantiveram uma conversa preliminar com o gerente de futebol Marcus Vinícius Beck Lima e devem definir suas permanências por mais um ano até o fim desta semana. (IC)

Em Minas, Alexandre Kalil, presidente do conselho deliberativo do Galo, dá como certa a contratação de Lúcio Flávio. Porém, Ney garantiu que nada está acertado, pois o Coritiba também está na parada. A maior dificuldade, neste caso, seria o acerto entre Coritiba e Paraná, apesar do técnico Caio Júnior deixar nas entrelinhas que gostaria de contar com Reginaldo Araújo. O lateral seria oferecido ao Tricolor nesta negociação. “Uma coisa é certa. Vamos trazer poucos reforços, mas que resolvam nosso problema. Não vou investir em jogador de pouca expressão, pois confio demais desta safra de valores que estamos promovendo à equipe principal”, finalizou o presidente do Paraná Clube.