Depois de mais uma derrota na Série B, dessa vez para o Brasiliense por 3 a 0, os jogadores do Paraná simplesmente não conseguiram explicar o que aconteceu no jogo de ontem e também com a equipe, que da liderança do campeonato passou para a quinta colocação, sendo que ainda pode perder mais posições até o fim da décima rodada.

“É inexplicável. Não tem nem o que falar. Na hora de dormir cada um tem que pensar no que fez e no que não fez neste jogo. Temos que levantar a cabeça e usar estes dez dias para trabalharmos e voltarmos ao normal”, disse o lateral direito Murilo.

Já o goleiro Juninho foi mais um a admitir que os problemas financeiros enfrentados pelo Paraná, com salários atrasados há quase três meses, têm prejudicado o rendimento da equipe em campo.

“É difícil explicar. Parece que quando estamos jogando bem, acontece alguma coisa que nos dá uma ducha d’água fria. Os problemas fora de campo afetam, mas nós somos homens. Está difícil, eu não sei explicar. Vamos ver se com este período de treinos a gente se acerta”, disse o goleiro.

Juninho disse ainda que quer que o Paraná volte a adotar uma postura defensiva, como era feito no início do Brasileiro. “O Paraná quer ser ofensivo, mas isto não funciona. O professor (Marcelo Oliveira) tem passado para a gente que temos que ser defensivos, assim como fomos nos sete primeiros jogos”, explicou.