O Atlético corre o risco de ter prejuízo no jogo de amanhã contra o Cruzeiro. Como tem que cumprir a pena imposta pelo STJD (cinco jogos longe de Curitiba e quatro com portões fechados) pela briga entre torcidas na última rodada do Brasileirão 2013, o clube decidiu enfrentar a Raposa no Mané Garrincha, em Brasília. O problema é que o acordo com o governo do Distrito Federal, que administra o estádio, não parece vantajoso.

Foram disponibilizados 30 mil ingressos, ao preço médio de R$ 120. Se vender mil (a maioria, certamente, para torcedores do Cruzeiro) o Furacão terá que pagar os custos para abertura do estádio, 15% da renda para o governo e segurança particular. Os valores arrecadados pela bilheteria não devem cobrir as despesas.