As reclamações de Vadão são tão fundamentadas que já têm um apoio oficial. O presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Luiz Zveiter, preocupado com o excesso de processos encaminhados ao STJD, fez da violência dos gramados o tema central do 1.º Seminário de Justiça Desportiva, que aconteceu no último final de semana, em Curitiba.

Uma das resoluções que já foram tomadas é o uso de imagens de televisão e depoimentos da imprensa como auxílio nos julgamentos. “Recebi a fita da agressão do Rogério Ceni, do São Paulo, a um atleta do Goiás e a levaremos em conta, independente do conteúdo da súmula do árbitro. Será assim a partir de agora”, explicou Zveiter antes do encontro.

Depois dos debates, ficou deteminada a implantação -provavelmente já na rodada do final de semana – de um sistema especial de fiscalização. Os tribunais de justiça estaduais devem nomear fiscais para acompanhar as partidas, observando atentamente o comportamento de treinadores, dirigentes e jogadores. As anotações desse profissionais vão para um relatório que será enviado ao STJD e poderão ser utilizados nos julgamentos. A experiência, se bem sucedida, deve ser incluída no novo Código Brasileiro Disciplinar do Futebol, que está em processo de estruturação e deve entrar em vigor em 2004.