Se não conseguir reverter a pena e tiver que jogar fora de Curitiba seus compromissos contra Internacional e São Paulo, o Atlético começa agora a pensar no local que vai mandar esses dois importantes compromissos, que podem selar a conquista da vaga na Libertadores da América do ano que vem. Agora, o Rubro-Negro passar a viver um dilema. Se priorizar o lado financeiro, a diretoria pode optar em mandar essas partidas em cidades com torcedores gaúchos e paulistas dentro do Estado. Se preferir continuar contando com o apoio da torcida, Joinville deve ser a escolhida.

Sem contar com a Arena da Baixada e, mesmo atuando na Vila Capanema, o Atlético já informou que está tendo prejuízo nas partidas como mandante no Campeonato Brasileiro. Assim, para não ver este cenário ainda pior, uma solução seria mandar o jogo diante do Internacional no estádio Olímpico Regional, em Cascavel, região predominante das torcidas dos times gaúchos.

Para o duelo contra o São Paulo, Londrina seria uma boa opção para o Atlético ganhar dinheiro. Na região Norte do Estado, as torcidas dos times paulistas são maioria e, mesmo tendo grande parte do estádio contra, o Rubro-Negro teria o Estádio do Café com um grande público, impedindo assim um prejuízo financeiro maior para o clube. O Palmeiras, na Série B, recentemente fez isso, e contou com quase 20 mil torcedores em Londrina.

Mas se quiser manter a boa sintonia que está tendo com a sua torcida, a melhor opção para o Atlético é jogar em Joinville, que fica a 131 km de distância de Curitiba. Porém, apesar de contar com o apoio maior do seu torcedor para esses compromissos, o Furacão terá um grande prejuízo se optar por mandar as partidas no estado vizinho.