O dia após a histórica vitória sobre o São Paulo por 3 a 1, na última quarta-feira, no estádio do Morumbi, pela rodada de ida das semifinais da Copa Sul-Americana, foi de muito assédio na Ponte Preta. O lateral-esquerdo Uendel, o atacante Rildo e até o presidente Márcio Della Volpe foram destaques em programas esportivos nas emissoras de comunicação, principalmente rádios e televisões. Tal fato já fez o técnico Jorginho avisar que quer o time com os “pés no chão”.

Na visão do treinador do time campineiro, da mesma maneira que a Ponte Preta venceu fora, o São Paulo pode ganhar na volta, que será na próxima quarta, em Mogi Mirim (SP). “Estamos conscientes que não ganhamos nada e que no jogo de quarta é fundamental nos mantermos simples e concentrados para poder passar por ele”, avisou.

Passada a euforia pela vitória heroica, o elenco já foi obrigado a voltar aos trabalhos nesta quinta à tarde. O discurso dos jogadores esteve afinado com o de Jorginho. “A gente sabe o quanto vai ser difícil para eles lá em Mogi, mas vamos com os pés no chão porque não tem nada ganho”, endossou.

O time volta o foco para o Campeonato Brasileirão, em que encara o Grêmio, neste domingo, em Campinas, mas sem tirar totalmente a cabeça do jogo de volta contra o São Paulo. Tanto que Jorginho já confirmou que a partir de segunda treinará no estádio Romildo Ferreira, em Mogi Mirim.

A grande dúvida para os dois jogos é o goleiro Roberto, que foi substituído no final do segundo tempo, no Morumbi, por conta de uma lesão no músculo adutor da coxa direita. O jogador passou por exames, nesta quinta, mas os resultados só devem sair nesta sexta. “Vai ter que dar. Vou arrumar um jeito de me recuperar”, prometeu. Edson Bastos é seu reserva imediato.