Porto Alegre (AE) – O jornalista José Aveline Neto vai processar o atacante Ronaldo Nazário acusando-o de ter tomado, e não ter devolvido (apropriação indébita), sua máquina fotográfica, uma Polaroid comprada a um custo de US$ 8. Ele alega que o atacante tirou o equipamento de suas mãos numa boate de Seogwipo, onde alguns jogadores da seleção foram se divertir após a vitória de 4 a 0 sobre a China.

Segundo o “jornalista-fotógrafo”, depois de cobrir o jogo para a revista gaúcha Goool, da qual é diretor, ele saiu para conhecer a noite de Seogwipo e entrou numa danceteria a uma quadra do hotel onde estava. Lá encontrou os jogadores Ronaldo Nazário, Ronaldinho Gaúcho, Roberto Carlos, Juninho Paulista, Luizão e Roque Júnior se divertindo e fotografou alguns deles dançando, a exemplo do que faziam, segundo contou, fotógrafos de outros países. Havia mulheres entre os atletas, mas Aveline não lembra de ter visto nenhuma cena picante.

Irritado com a presença do jornalista brasileiro, Ronaldo Nazário tomou a máquina fotográfica. Aveline disse que na discussão lembrou ao atacante brasileiro que “ele é uma pessoa pública e se não quisesse ser fotografado deveria ficar no hotel”. Ronaldo teria respondido, conforme o relato do jornalista, que aquele era um momento íntimo dele e dos demais jogadores e que, por isso, não deveria ser fotografado.

O destino da máquina é incerto. Aveline disse ter sido informado que ela foi destruída pelos jogadores. O assessor de imprensa da CBF, Rodrigo Paiva, com quem o jornalista gaúcho conversou no domingo de manhã, teria prometido a reposição de uma Polaroid igual. Mas Aveline não se contenta com o ressarcimento e quer o filme, com as fotos que havia feito em seus passeios e durante o jogo da seleção. Ele não é fotógrafo profissional e, segundo afirma, usa o equipamento apenas para registros pessoais.

Aveline não quer sair de Seogwipo antes de a polícia tomar depoimentos dos donos da danceteria, na manhã de hoje. Depois pretende voltar a cobrir os jogos da seleção. E insiste que gostaria de saber de Ronaldo Nazário os motivos para uma atitude que qualifica de “muito agressiva”. Lembra que propôs até revelar o filme e ceder os negativos que os jogadores pedissem.