O Tribunal de Justiça Desportva do Paraná (TJD-PR) estará movimentado hoje e pode até interferir, mesmo que indiretamente, no futuro do Campeonato Paranaense. A partir das 19h, nada menos do que três julgamentos serão realizados, envolvendo Coritiba, Paraná Clube, J.Malucelli e Londrina. Entre eles, o que pode sair mais prejudicado é o Tubarão.

O clube será julgado por conta de toda a confusão que aconteceu na derrota por 1 x 0 para o Coxa, no dia 3 de março, no Estádio do Café, pela última rodada do primeiro turno, e que deu o título ao Alviverde. Na ocasião, o elenco londrinense foi pra cima do árbitro Felipe Gomes da Silva, reclamando de três pênaltis não marcados, o que gerou toda a polêmica no local, com objetos arremessados no gramado, além de brigas dentro e fora do estádio.

O Londrina foi denunciado nos capítulos II e III do artigo 213 – deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo e lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo -e 257 – participar de rixa, conflito ou tumulto, durante a partida, prova ou equivalente – do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). Somando-se todas as punições, o clube pode perder até dez mandos de campo e receber multa de até R$ 130 mil.

Além do LEC, o gestor de futebol do Alviceleste, Sérgio Malucelli, e mais três jogadores foram indiciados. No caso do dirigente, o árbitro relatou na súmula que Malucelli deu um soco em um dos auxiliares e, assim, ele foi denunciado no artigo 254-A do CBJD -praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente -, o que pode lhe render uma suspensão de, pelo menos, 180 dias.

Mesma denúncia feita ao zagueiro Gilvan, que foi enquadrado no mesmo artigo, uma vez que, de acordo com o relato na súmula, desferiu um soco no árbitro. Já o volante Diogo Roque, foi denunciado no artigo 243-F – ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto – e pode ser suspenso por, pelo menos, quatro jogos, além de arcar com uma multa que pode chegar a R$ 100 mil.

Por fim, outro atleta que foi denunciado foi o meio-campo Celsinho. Embora não tenha sido relatado na súmula, o camisa 10 do Tubarão foi denunciado por conta das reclamações que fez após o jogo, afirmando que o time havia sido roubado, e também por, logo após a confusão, ter sido flagrado com gestos que dão a entender que o árbitro estava mal intencionado. Enquadrado no artigo 243-D – incitar publicamente o ódio ou a violência -, Celsinho pode pegar uma suspensão que varia de 360 a 720 dias, além de multa de até R$ 100 mil.