Para todos na seleção brasileira, a Turquia é vista apenas como o adversário das semifinais da Copa do Mundo. Aquele que, se batido, representará a chegada do futebol brasileiro, pela terceira vez consecutiva, a uma final de Mundial. No entanto, para o meia-armador Juninho Paulista, os turcos têm um significado especial. E a história é recente. Em razão da montagem dos grupos e dos resultados obtidos por cada uma das equipes, brasileiros e turcos vão se enfrentar pela segunda vez no torneio.

A primeira foi na estréia, com vitória do time de Luiz Felipe Scolari, de virada, por 2 a 1. Na oportunidade, um mistério rondou o ambiente da seleção na véspera da partida (depois descobriu-se que essa seria uma das características de trabalho do treinador brasileiro): a formação do meio-campo.

A dúvida foi desfeita com a escalação de Juninho no time titular. Agora, depois de ficar fora do jogo contra a Inglaterra  quando deu lugar a Kléberson, o jogador está diante de nova oportunidade. Com a suspensão de Ronaldinho Gaúcho, que terá de cumprir um jogo por causa do cartão vermelho recebido diante dos ingleses, Juninho volta à equipe.

E, desta vez, seu discurso não é o tradicional ?estamos aqui para ajudar? ou ?o importante para mim é estar na Copa do Mundo?, preferidos dos atletas. Juninho não só quer jogar entre os titulares como também aproveitou para mandar um recado: ?espero entrar novamente contra a Turquia e ficar até a final?  afirmou. Mas não faltou a famosa média com os demais jogadores. ?O mais importante é que é um grupo nivelado. Por isso é uma equipe campeã?, disse, antecipando, quem sabe, o destino do título.

À vontade – E Juninho conta com fatores extras que podem lhe ajudar em seu objetivo de permanecer entre os 11 que iniciam a partida. Pela primeira vez na competição, vai ter a oportunidade de jogar em sua legítima posição. Até então, tinha de atuar mais pelo meio, na marcação, auxiliando os volantes. ?Agora não, pois trata-se de uma posição mais ofensiva, do jeito que sempre joguei, ou seja, mais avançado?, explicou.