A Juventus quebrou o encanto de Figo, Zidane, Raúl e Ronaldo, derrotou o Real Madrid por 3 a 1, ontem, no Estádio delle Alpi, e enfrenta o Milan, na final da Liga dos Campeões. O clássico do dia 28, em Manchester, no Estádio Old Trafford, marcará a primeira decisão totalmente italiana no principal torneio de clubes da Europa. Os ?juventinos? tentam o terceiro título (ganharam em 85 e em 96), enquanto os ?milanistas? buscam o sexto (venceram em 63, 69, 89, 90 e 94).

O Real Madrid precisava apenas do empate, no jogo de volta das semifinais, porque havia feito 2 a 1 em casa, na semana passada. A “Velha Senhora”, embalada pelo scudetto conquistado no sábado, entrou em campo confiante, atenta na marcação, rápida na troca de passes e mais atrevida do que de costume. A opção de envolver o rival estrelado deu certo logo aos 12 minutos, com o franco-argentino Trezeguet tocando para o gol passe que recebeu de Del Piero dentro da pequena área.

O segundo gol foi conseqüência da eficiência da Juve e de habilidade de Del Piero. O meia recebeu a bola no lado esquerdo da área do Real, aos 43 minutos, entortou Hierro e Salgado com dribles curtos e chutou rasteiro, sem chance para o goleiro Casillas.

Del Bosque decidiu abrir mais o Real, na etapa final, e colocou Ronaldo aos 5 minutos, no lugar de Flávio Conceição. O artilheiro do mundial de 2002 foi pouco lançado, mas aos 21 minutos sofreu pênalti do zagueiro uruguaio Montero. O português Figo chutou fraco, no meio do gol, e Buffon defendeu. O gol, àquela altura, teria levado a partida para a prorrogação.

O castigo para o erro do Real veio aos 28 minutos, com passe longo de Del Piero que encontrou Nedved sozinho com Hierro. O checo chutou de primeira e fez 3 a 0. Os espanhóis não jogaram a toalha e tentaram a reação, que veio aos 44 com o gol de Zidane. Mas era necessário fazer o segundo, mas os cinco minutos adicionais não ajudaram.

O futebol italiano alcança a liderança em conquistas continentais com dez copas, ao lado da Espanha. A Inglaterra tem 9.