O brasileiro Kaká disse em entrevista para imprensa italiana, nesta sexta-feira (5), que ainda está procurando o melhor posicionamento para jogar ao lado de Ronaldinho no Milan. Para Kaká, a nova formação o forçou a mudar de posição.

“Ronaldinho está bem, já está ambientado. Antes dele, jogávamos de forma automática. Seedorf e eu ficávamos atrás de um atacante, quase sempre Inzaghi. Com a vinda de Ronaldinho, tivemos que nos adaptar. Nunca joguei como ele, sempre parti do meio. Talvez ele me limite um pouco no lado esquerdo. Temos que encontrar uma melhor maneira de jogar”, disse Kaká.

Criticado por não ser tão decisivo como em outras temporadas, Kaká lembrou que vem atuando em posição diferente neste ano. Na última temporada, quando foi eleito o melhor jogador do ano pela Fifa, Kaká foi o artilheiro do time, com 19 gols. No entanto, nesta temporada, o jogador marcou apenas quatro gols contra nove de Ronaldinho.

“Sei que todos esperam coisas diferentes de mim, é minha responsabilidade. Se não o faço, me criticam. Também chegamos a testar a mudança para a ponta. Atuei nessa posição contra o Genoa, mas depois voltei. Agora vamos ver como posso melhorar. Quero voltar a ser 100% fundamental. Para mim, não é fácil não ser decisivo.”

Kaká ainda afirmou que o Milan não está em crise após a eliminação da Copa da Itália e a derrota para o Palermo, por 3 a 1, no último final de semana, pelo Campeonato Italiano.

“As pessoas comentam as duas derrotas seguidas (Palermo, pelo Italiano, e Lazio, pela Copa da Itália), mas esquecem de dizer que estamos bem nas outras competições. Nossa seqüência de jogos foi boa e nos colocou em segundo na Série A. E estamos bem na Copa da Uefa. Temos muita coisa a melhorar, mas não há crise no Milan”, concluiu Kaká.