O Milan suou muito e conseguiu passar pelo Celtic nas oitavas-de-final da Liga dos Campeões. Depois de empatar sem gols tanto o jogo de ida, em Glasgow, há duas semanas, quanto no de volta, no tempo normal, ontem, no Estádio San Siro, a equipe italiana garantiu a classificação com um belo gol de Kaká na prorrogação: 1 a 0.

Logo aos dois minutos do primeiro tempo do tempo extra, o brasileiro recebeu a bola no meio-de-campo, avançou até a área escocesa e tocou por baixo do goleiro polonês Buruc. Foi o sexto gol do meia na Liga dos Campeões, da qual é artilheiro isolado.

Mas, até então, a defesa do Celtic vinha sendo uma muralha quase intransponível para o Milan. O próprio Kaká acertou um chute no travessão aos 41 minutos do segundo tempo. Pouco antes, Seedorf parou numa linda defesa de Buruc em cobrança de falta.

Parte desse sufoco milanês, no entanto, pode ser atribuída à falta de ousadia do técnico Carlo Ancelotti, que, mesmo precisando vencer, escalou o time com apenas um atacante de ofício, Inzaghi, substituído no segundo tempo por outro jogador da posição, Gilardino. Ricardo Oliveira ficou no banco de reservas e Ronaldo não pôde atuar porque já defendeu o Real Madrid no torneio.

Mesmo aos trancos e barrancos, o Milan segue na busca pelo seu sétimo título de campeão europeu – ganhou em 1963, 1969, 1989, 1990, 1994 e 2003.

Com gol contra e a favor, Alex garante PSV

Mesmo jogando em Londres, o PSV Eindhoven ontem arrancou um heróico empate por 1 x 1 diante do Arsenal e garantiu a vaga nas quartas-de-final da Liga dos Campeões da Europa. Destaque da partida foi o zagueiro brasileiro Alex, que fez um gol contra e depois garantiu o empate à equipe holandesa.

Precisando da vitória, o Arsenal, que entrou em campo com os brasileiros Júlio Baptista e Denílson entre os titulares, pressionou o PSV na primeira etapa, mas sem criar grandes chances de gol, tanto que o goleiro Gomes não foi exigido.

No segundo tempo, o time da casa finalmente conseguiu abrir o marcador, mas graças a um gol contra do zagueiro brasileiro Alex. Depois de uma cobrança de escanteio de Denílson na área do PSV, a bola bateu em Alex e entrou, sem chances para Gomes.

O resultado levava a decisão para a prorrogação, mas o mesmo Alex, aos 38 minutos do segundo tempo, aproveitou falta cobrada por Edison Méndez para desviar para o gol e deixar tudo igual, resultado que colocou o PSV nas quartas-de-final da Liga dos Campeões.

Manchester despacha Lille

O Manchester United não deu chance para a zebra e garantiu ontem uma das oito vagas nas quartas-de-final da Liga dos Campeões. A vítima foi o Lille, derrotado por 1 x 0 no estádio de Old Trafford, em Manchester. O gol foi do sueco Larsson, que na próxima terça se despede do clube e volta a jogar pelo Helsinborg, da Suécia.

Com a vantagem de ter vencido o jogo de ida por 1 x 0, o time inglês entrou tranqüilo em campo, sem a obrigação de vencer diante de um adversário pouco expressivo.

A vaga dos ?Diabos Vermelhos? foi assegurada aos 27min da etapa final. Cristiano Ronaldo cruzou da esquerda e Larsson apareceu livre para marcar, de cabeça, seu 47.º gol em competições européias.

Lúcio faz e Bayern avança

Jogando no Allianz Arena, o Bayern Munique contou com um gol relâmpago para superar o Real Madrid por 2 x 1, ontem, e garantir vaga nas quartas-de-final da Liga dos Campeões da Europa. Mesmo levando sufoco no final da partida, o time alemão usou de sua experiência para se classificar pelo critério dos gols fora de casa.

Precisando da vitória, o Bayern partiu para cima e abriu o placar logo aos 11 segundos de jogo. Depois da saída, Roberto Carlos perdeu a bola para Salihamidzic, que avançou pela direita e rolou para Roy Makaay tocar na saída de Casillas.

O Real teve que sair para o jogo, mas sem organização, e quase o Bayern ampliou aos 27 minutos, em mais uma arrancada de Makaay.

O Real por pouco não empatou aos 10 do segundo tempo, com Ruud van Nistelrooy, mas quem marcou foi o Bayern. Após escanteio, o zagueiro brasileiro Lúcio cabeceou para as redes e colocou o Bayern em ótima situação.

Só após o gol, Capello colocou Robinho em campo, e o jogo mudou. Minutos depois, o brasileiro foi derrubado na área e Van Nistelrooy converteu o pênalti. O Real só precisava de mais um gol e o jogo pegou fogo. O time de Madrid exerceu uma blitz e ainda teve um gol corretamente anulado aos 43 minutos, mas o jogo ficou mesmo no 2 x 1.