O craque brasileiro Kaká, do Milan, negou a existência de uma crise na equipe italiana, que não consegue uma vitória há três jogos, mas admitiu: “Ronaldinho me limita”. “Não estamos em crise, mas o momento é esse: estamos tentando nos adaptar taticamente todos juntos e comigo acontece de ter que jogar mais próximo do meio-de-campo do que dos atacantes, como eu prefiro”, esclareceu o jogador, durante uma entrevista coletiva.

O meia disse acreditar que o momento ruim do time é passageiro e que espera “voltar a dar 100% porque quero ser decisivo para a equipe”. “Estávamos habituados a jogar de maneira automática”, lembrou, ressaltando que, “com a chegada de Ronaldinho”, o time precisa encontrar “novos automatismos”.

Kaká admitiu que Ronaldinho “limita um pouco” sua atuação e que por isso “precisam encontrar um entendimento melhor”. “Na seleção jogamos juntos com freqüência, mas não é a mesma coisa”, acrescentou.

No entanto, Kaká não crê que exista muita distância técnica entre o Milan e a Inter de Milão, primeira colocada no Campeonato Italiano. “Eles são mais concretos e unidos, mas não jogam um futebol bonito. A única coisa que têm a mais são seis pontos na tabela”, argumentou Kaká.

Na última quarta-feira, os rossoneri foram eliminados da Copa da Itália após uma derrota por 2 a 1 para a equipe da Lazio. O Milan enfrenta os sicilianos do Catania em casa neste domingo e precisa vitória para continuar na briga pelo campeonato. A equipe ocupa atualmente o terceiro lugar no Campeonato Italiano, com 27 pontos em 14 jogos.