O jogo de sábado trouxe um dilema para o técnico Dado Cavalcanti. Jogar ou não com um atacante de referência? Uma escolha que passa diretamente pela condição física de Keirrison. Nos 45 minutos em que esteve em campo, o K18 foi extremamente participativo – e decisivo – para a vitória sobre o Rio Branco. Antes mesmo do gol, já havia obrigado o goleiro adversário a uma grande defesa, em um cabeceio certeiro. O centroavante correu muito e até ajudou na marcação.

“Temos que analisar bem. É preciso tranquilidade com o Keirrison. É um jogador diferenciado e que busca a sua melhor condição”, analisou Dado. “Além disso, não podemos jogar pro alto tudo o que foi feito até aqui. O time vinha bem taticamente, mas se perdeu um pouco com a saída do Robinho”, admitiu. Sem um articulador para contrabalançar o trabalho de Alex – Norberto é um jogador com características mais incisivas – o Coxa teve problemas sérios na fase inicial da partida.

Nas entrelinhas, Dado dá a entender que, caso Robinho se recupere a tempo para o jogo de quarta-feira – algo provável, já que não se trata de lesão -, a estratégia para encarar o Maringá será a mesma dos jogos anteriores. Neste caso, Keirrison seguiria no banco, como uma opção para mudar o jogo. “Estou tranquilo quanto a isso. Desta vez, me senti mesmo à vontade, com confiança e sabendo que poderia ajudar”, comentou Keirrison. Ele disse que desta vez, Dado nem precisou conversar muito com ele no intervalo. “Jogador, no banco, tem que estar fazendo a leitura do jogo. Quando fui chamado, já sabia o que teria que fazer”.

Se necessário, Keirrison garante estar pronto para encarar o Maringá. “O primeiro jogo define muito num mata-mata. Por isso, o Maringá vai nos pressionar e temos que ter inteligência para aproveitar os espaços”, disse o atacante. Na reapresentação de hoje, a comissão técnica já terá um parecer em relação a Leandro Almeida e Geraldo, jogadores que estão em fase final de recuperação e que podem reforçar o Coritiba já na semifinal. A exemplo do que aconteceu na fase anterior, a única vantagem é o mando de campo para o confronto decisivo. O Verdão soma 24 pontos na classificação geral, contra 23 do Maringá.