Kléberson machucou o tornozelo
e não treinou ontem.

Ulsan (AE) – Nos treinos de ontem da seleção brasileira – os primeiros visando o jogo contra a Costa Rica – Scolari dedicou a maior parte do tempo a dois fundamentos. E ainda aproveitou para testar uma possível formação diferente para o último jogo nesta fase, poupando três titulares.

Na parte da manhã, quando chegou a preservar cinco jogadores (Ronaldo, Rivaldo, Roberto Carlos, Roque Júnior e Cafu ficaram fazendo musculação no ginásio do hotel), os passes curtos e rápidos foram a prioridade do treinador. Felipão tem dito que os jogadores precisam se aprimorar mais nesse fundamento para adquirir confiança e errar menos nos passes longos. O trabalho, no sistema de “dois toques”, acabou tendo uma baixa além dos cinco poupados: o volante Kléberson, do Atlético, que teve um entorse no tornozelo direito e deixou o gramado. O tratamento, com gelo e antiinflamatório, foi iniciado nos degraus que servem de arquibancada ao lado do campo. O médico José Luiz Runco afirmou que a contusão não era grave e que poderia preservar o jogador no treino da tarde, o que acabou acontecendo. Ele acredita, porém, que Kléberson poderá treinar normalmente hoje.

Antes de testar as substituições, Scolari havia colocado todos os jogadores para treinar chutes a gol, com ênfase nas bolas cruzadas das laterais. Com o penúltimo dia antes do terceiro jogo do Brasil na Copa do Mundo dedicado aos fundamentos básicos do futebol, resta agora apenas um período de treinos, hoje, para definir o time, além do reconhecimento no estádio, na véspera do jogo de quinta-feira.

Ronaldo machuca a cabeça

Ulsan

(AFP) – Ronaldo, o “fenômeno”, surpreendeu a todos ao participar da sessão vespertina de treinamentos de ontem com um esparadrapo protegendo um corte em seu couro cabeludo. “Estava jogando pingue-pongue e bati com a cabeça em um móvel na parede. Não é nada sério”, explicou o jogador.O jogador chegou, inclusive, a brincar com o ocorrido, dizendo não saber “quem foi a inteligência que colocou o móvel naquele lugar”. O fato é que o pequeno ferimento atraiu a atenção de todos no final da sessão de treinos, quando Ronaldo e seu companheiro de ataque, Luizão, se divertiam submetendo os goleiros a um verdadeiro bombardeio de chutes à média distância.