Como já era de se esperar, a entrevista coletiva do técnico Gilson Kleina, nesta sexta-feira, na Academia de Futebol, teve como principal assunto o futuro do treinador e a possibilidade dele renovar contrato com o Palmeiras. Sem novidades e incomodado com a situação, o comandante ficou irritado com as sucessivas perguntas sobre o tema e sobre as especulações de possíveis candidatos a ficar com sua vaga.

“Enche a paciência e se torna repetitivo. Não tenho que ficar falando de nomes que possam vir e eu tenho que respeitar o meu contrato. Já disse que aceitarei qualquer decisão”, disse o treinador, que emendou: “Fico grato com o apoio que recebo de jogadores e funcionários, mas tenho que trabalhar e manter a seriedade e o profissionalismo”.

O treinador garantiu que a questão financeira não fará diferença na possibilidade ou não de o seu atual acordo com o Palmeiras ser reformado. “Se eu não tiver a renovação, não será pela questão financeira. A negociação envolve dois lados e os dois têm de ser ouvidos”, explicou.

Kleina também negou que esteja negociando com outros clubes, por respeito ao Palmeiras. “Não irei me colocar à disposição no mercado, pois não teria cabeça para continuar trabalhando aqui e nem fazer o planejamento neste outro clube. Preciso e estou focado no Palmeiras”, completou.

Mais calmo e bem humorado, ele brincou sobre o fato de não ser considerado um técnico de grife. “São Paulo Fashion Week está aí. Tem um monte de grife, lá. Tem que ver se a grife está na moda, ou não”, disse.

O Palmeiras volta a campo no sábado, contra o Joinville, às 16h20, no Pacaembu. O clube precisa de mais quatro pontos para garantir o título da Série B do Campeonato Brasileiro sem depender de outros resultados.