Com o título da Série B assegurado, acabaram as desculpas para não pensar em 2014 e um dos pontos fundamentais é definir a situação da comissão técnica. A reação dos jogadores após o jogo pegou o presidente Paulo Nobre de surpresa. Eles deixaram claro que querem a permanência de Gilson Kleina, gritando o nome do treinador enquanto comemoravam o título e lhe davam um banho de champanha e nas entrevistas cobraram agilidade no planejamento.

Kleina agradeceu ao apoio dos jogadores e dos torcedores – que ao final da partida também gritaram o seu nome -, mas deixou claro que a renovação depende da possibilidade de ter um time de qualidade na próxima temporada.

“Minha vontade é dar continuidade, até porque para mim é mais fácil identificar as carências da equipe, mas não podemos tomar decisões pela emoção. Quero virar o ano em condições de ganhar alguma coisa ano que vem”, explicou.

Sobre a torcida, disse entender a parte que é contra seu trabalho. “Treinador vive amor e ódio com a torcida. São 15 meses na frente do Palmeiras e me foi dado a responsabilidade de colocar esse gigante de volta à elite nacional. Consegui e fico feliz por isso.”

A negociação entre Kleina e Palmeiras avançou na sexta-feira, mas ainda parece sem prazo para terminar. A direção espera resolver o caso até o começo da semana, mas nos últimos dias o time alviverde ganhou concorrentes. O Coritiba e um clube do exterior sondaram o treinador, que, entretanto, mantém a ideia de dar prioridade ao time atual.

Já Nobre evitou projetar uma data, mas se disse animado com a possibilidade de o acordo sair em breve. “Não quero colocar data porque a gente fica refém disso. O diálogo é bom, existe a vontade de ambas as partes e as conversas existem há alguns dias.” Para evitar polêmicas, o dirigente disse ter ficado feliz com a reação do elenco, pedindo a manutenção do treinador.

“Não digo que a manifestação dos jogadores faça diferença, mas o Palmeiras negociando a renovação do treinador mostra que a gente quer ficar com ele e quando você vê os jogadores satisfeitos com o trabalho dele, deixa a gente feliz.”

Nobre acha que o fato de o clube ter externado a tentativa de contratar Marcelo Bielsa não deve atrapalhar na negociação. “Foi uma transparência que talvez não seja comum no futebol e não vejo isso como algo deselegante com Kleina”, explicou.

O goleiro Fernando Prass foi um dos atletas que veio a público cobrar agilidade da diretoria para começar as mudanças. “A gente torce agora para que o planejamento ande, porque temos duas semanas na frente dos rivais. Estamos estruturados, com a base montada, mas precisamos de reforços. Tem mais dois jogos ainda, mas a coisa mais importante é focar no planejamento, definir logo a permanência do Gilson e fazer os ajustes na equipe”, cobrou.