Contratado na última semana, o alemão Jurgen Klinsmann foi apresentado nesta segunda-feira como novo técnico da seleção norte-americana. Logo em sua chegada, o ex-treinador da Alemanha e do Bayern de Munique apontou a necessidade de criação de novos craques no futebol local e deixou um objetivo bem claro: desenvolver um “novo Donovan”.

“Nosso trabalho começa todo com o desenvolvimento de um novo Donovan”, disse, referindo-se ao meia de 29 anos, que atua no Los Angeles Galaxy. Tido como um dos maiores jogadores do país em todos os tempos, ele sempre foi reconhecido pelo futebol demonstrado dentro dos Estados Unidos, mas não conseguiu o mesmo sucesso na Europa, onde atuou por Bayer Leverkusen, da Alemanha, e Everton, da Inglaterra.

De acordo com o técnico, somente com novos craques a seleção norte-americana conseguirá brigar pelo título de uma Copa do Mundo. “Você precisa talvez de dez Landon Donovans em diferentes posições e com diferentes características para chegar a esse ponto um dia”, avaliou. “Ainda estamos longe disso”, admitiu.

Um dos maiores atacantes alemães da história e campeão do mundo em 1990, Klinsmann começou a carreira de treinador na seleção da Alemanha, em 2005. Ele deixou o cargo após conquistar a terceira colocação na Copa do Mundo de 2006 e só voltaria a trabalhar como técnico em 2008, no Bayern de Munique, seu último emprego na função.

Nos Estados Unidos, Klinsmann chegou para substituir Bob Bradley e prometeu consultar diversos técnicos do futebol local para se aperfeiçoar. “É vital que eu esteja envolvido em todas as discussões com muitos técnicos, assim melhoraremos o nível desde a base. Sou fascinado por essa aproximação”, afirmou.