Chegará ao fim, neste sábado, a sétima e última temporada de Jürgen Klopp à frente do Borussia Dortmund. E o treinador, que marcou é época no clube, tem a chance de se despedir faturando o título da Copa da Alemanha, na final contra o Wolfsburg, em Berlim. Depois de receber diversas homenagens da torcida no seu último jogo em casa, sábado, pela última rodada do Alemão, ele agora quer passar despercebido.

“Não é minha intenção ser herói amanhã (sábado). Estou feliz de deixar essa função com os jogadores”, garantiu Klopp, nesta sexta-feira, na entrevista prévia à partida. “Era nossa meta no início da temporada estar aqui agora, então estou feliz que estamos aqui depois de uma temporada difícil.”

O treinador, de apenas 47 anos, fez história no Borussia porque recolocou a equipe entre os grandes da Alemanha depois de o clube pedir falência em 2005 e sofrer com a ameaça do rebaixamento nas temporadas seguidas.

Com Klopp, a equipe de Dortmund fez a dobradinha Alemão/Copa da Alemanha em 2011, com direito a goleada sobre o Bayern de Munique na final da Copa, e chegou à final da Liga dos Campeões de 2013, exatamente contra o Bayern.

A diferença financeira entre os dois clubes, entretanto, tornou a concorrência desleal, a ponto de o Bayern ganhar com facilidade as últimas duas edições do Alemão. A equipe bávara tirou de Dortmund os dois craques do time, Mario Götze e Robert Lewandowski. Klopp procurou recompor o elenco, mas foi prejudicado por lesões.

Se faturar o título da Copa da Alemanha, neste sábado, Klopp vai deixar Dortmund com o posto de treinador mais vitorioso da história do clube, com seis taças, superando o lendário Ottmar Hitzfeld, com cinco. O treinador ainda não tem destino definido.