A história da Fórmula 1 ganhou uma nova página ontem, com a pole position de Robert Kubica para o GP do Bahrein, hoje às 8h30 (de Brasília). Pela primeira vez, um piloto da Polônia larga da posição de honra, assim como a BMW, que participa com equipe própria desde 2005.

O piloto de 23 anos, que participará de seu 25.º GP, registrou a marca de 1min33s096 nos últimos instantes da superpole, deixando Felipe Massa para trás. O brasileiro da Ferrari, que era o favorito, não conseguiu melhorar no fim e ficou 0s027 atrás.

Depois de dominar as duas sessões de treinos livres da sexta-feira, Massa dava sinais de que seria pole tranqüilamente. No entanto, o piloto de 26 anos não contava com o tráfego que enfrentou em suas duas últimas voltas lançadas.

Recuperação

Abrindo a segunda fila, em 3.º, Lewis Hamilton se reabilitou do acidente sofrido no treino livre de sexta.

O inglês da McLaren parece ter recuperado o terreno perdido com um carro refeito e deixou seu principal rival, o finlandês Kimi Raikkonen, para trás com a Ferrari, em 4.º.

O também finlandês Heikki Kovalainen, no outro carro da McLaren, e o alemão Nick Heidfeld, companheiro de Kubica na BMW, completaram a terceira fila da corrida de hoje, no circuito de Sakhir.

O italiano Jarno Trulli (Toyota) ficou à frente de Nico Rosberg, em 7.º, beneficiando-se pela queda de rendimento do alemão da Williams em relação ao terceiro treino, quando havia sido o mais rápido.

Já o inglês Jenson Button, com o carro da Honda, e o espanhol Fernando Alonso, da Renault, fecharam a relação dos dez primeiros no grid de largada.

Rubens Barrichello e Nelsinho Piquet conseguiram passar para o Q2, mas não tiveram a sorte de se classificarem para a superpole.

O veterano da Honda larga em 12.º, duas posições à frente do estreante da Renault.