A pedido de vários jogadores da seleção argentina, como Lionel Messi, o estádio de La Bombonera se tornou um dos candidatos a receber o clássico contra o Brasil, no dia 5 de setembro, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, de acordo com um dirigente do Boca Juniors.

O vice-presidente do clube, Juan Carlos Crespi, revelou que Messi, Carlitos Tevez e Javier Mascherano lhe pediram para que o estádio do Boca Juniors receba o jogo contra o Brasil. Ele disse que o clube informou sobre o assunto às autoridades do futebol argentino.

Crespi afirmou que o técnico da Argentina, Diego Maradona, torcedor do Boca “disse publicamente que gostaria de jogar essas partidas-chave em La Bombonera, pelo eco que causa a torcida e pela mística de apoio que tem”.

“Os jogadores teriam 45 mil gargantas em seu ouvidos os apoiando e os rivais teriam 45 mil gargantas os repudiando”, destacou Crespi, no programa Mundo Boca, da rádio El Mundo. “O campo do Boca é um lugar muito estratégico”, analisou. “O apoio que os torcedores dariam ao time seriam 30 ou 40% do que precisamos para ganhar dos brasileiros e classificar para o Mundial”.

Crespi comentou que o Boca enviou uma nota sobre o tema à Associação de Futebol Argentino (AFA) e que foi “bem recebida” por Julio Grondona, presidente da entidade. De qualquer modo, a decisão final dependerá da Fifa que deve liberar o estádio para receber partidas das Eliminatórias.

Maradona e vários jogadores pediram para não jogar no Estádio Monumental, habitual cenário da Argentina durante as Eliminatórias, por conta do estado ruim do gramado. A AFA pediu à Fifa para analisar o estádio do Rosário Central, apesar do Monumental ainda não ter sido descartado. “[O estádio do] Boca está em melhores condições que Rosário Central para ser liberado, mas é a Fifa que decidirá isso”, disse Crespo.

A Argentina está em quarto lugar nas Eliminatórias Sul-Americanas, atrás de Brasil, Chile e Paraguai, e à frente de Equador e Uruguai. Os quatro primeiros se classificam para o Mundial da África do Sul e o quinto vai disputar uma repescagem com um representante da Concacaf.