O lateral-direito do Nacional Jorge Fucile foi extremamente sincero ao analisar a vitória sobre o Santos na terça-feira em duelo pelo Grupo F da Libertadores. O jogador afirmou que ficou cansado de ser driblado por Rodrygo e bateu intencionalmente no atleta do Santos para tirá-lo da partida.

“Não havia outra maneira de tirá-lo do campo. Só assim consegui tirá-lo e a partir daí a partida ficou tranquila”, informou em entrevista à rádio Sport 890 e que foi publicado pelo site uruguaio Refferi.

“Levei três canetas, pela primeira vez na história levei três canetas em uma partida. Na verdade tenho que aplaudir porque nenhum jogador conseguiu fazer isso até então. O Rodrygo vai colocar o vídeo e assistir todos os dias”, prosseguiu

Fucile, 33 anos, teve passagem pelo Santos em 2012. É um jogador experiente, que já jogou também pelo Liverpool e pelo Porto. Desde 2014 defende o Nacional do Uruguai. Na saída da partida, ele enalteceu Rodrygo, de 17 anos, que precisou deixar a partida com uma lesão no tornozelo após receber a pancada do lateral.

“O Rodrygo demonstrou que tem um talento nato, existem poucos jogadores com essa qualidade. Tentamos mantê-lo longe do nosso gol”, disse. “Depois que a gente abriu o placar, a gente tentou ficar com a posse de bola e esse foi o segredo de termos saído com a vitória”, finalizou.

Mesmo com a derrota, o Santos continua na liderança do Grupo F da Libertadores. O time brasileiro tem 9 pontos, contra 8 do Nacional, que está em segundo. O Estudiantes é o terceiro, com os mesmos 5 pontos do Real Garcilaso, o lanterna.

O Santos volta a campo pela competição continental no dia 24, quando receberá o Real Garcilaso pela última rodada da fase de grupos. Pelo Campeonato Brasileiro, o time joga no domingo contra o Grêmio, em Porto Alegre.