Faltam poucos detalhes para o elenco do Paraná Clube estar “fechado” para a disputa do Campeonato Paranaense. A diretoria ainda não confirma, mas o lateral-esquerdo Gilton estaria treinando no Ninho da Gralha. O jogador, apesar dos 23 anos, já atuou por três temporadas no futebol japonês. Ele está vinculado ao Joinville, mas foi pouco utilizado na disputa da Série B e acabou emprestado à Chapecoense na reta final da Terceirona.

Com Gilton e Henrique (“repatriado” do Coritiba) o Tricolor repõe as peças para este setor. Ao longo do Brasileiro, o clube contava com Fernandinho e Wendell Borges, mas os jogadores não renovaram. Fernandinho foi para o São Caetano, enquanto Borges acabou devolvido ao Londrina. Os dirigentes mantém uma postura de não confirmar negociações enquanto os contratos não estiverem firmados e os nomes publicados no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF.

Na prática, com Gilton e JJ Morales, o Paraná elevaria a 28 o número de jogadores à disposição de Toninho Cecílio. Ainda restaria uma vaga para a lateral-direita. Com a saída de Paulo Henrique, negociado com o Atlético Goianiense, a comissão técnica conta apenas com Ângelo para o setor. O gerente de futebol Alex Brasil está à frente das negociações e espera definir mais esta contratação até o fim desta semana.

A partir daí, haveria ainda toda a questão burocrática a ser acertada para a largada do Paranaense. Até ontem, nenhum dos reforços já contratados (Marcos, Júnior Capixaba, Rubinho, Reinaldo e Paulo Renê) teve registro confirmado na CBF. Os clubes têm até sexta-feira da próxima semana para registrar novos jogadores, visando a disputa da primeira rodada do Paranaense, toda ela confirmada para o dia 20 de janeiro. O Tricolor estreia na Vila Capanema, frente ao Nacional de Rolândia.