O ala/armador Leandrinho pode ter feito neste sábado a sua despedida com a camisa do Flamengo. O jogador marcou 22 pontos na vitória da equipe dele sobre o Brasília, por 110 a 72, no ginásio do Tijuca Tênis Clube, e deixou a quadra já falando em tom de despedida. Isso porque uma reunião que virou a madrugada nos Estados Unidos, envolvendo representantes dos jogadores e dos donos de franquias da NBA, deixou bem encaminhado um acordo para pôr fim à paralisação no basquete norte-americano, o que pode acontecer já na próxima segunda-feira.

“Ainda não é oficial, mas existe essa possibilidade de a temporada começar no Natal. Estou vivendo um momento muito especial da minha carreira e estou muito feliz no Flamengo. Está sendo uma experiência muito boa Espero encerrar minha carreira no Brasil, de preferência no Flamengo, pois Flamengo é Flamengo”, disse Leandrinho. Assim que a greve chegar ao fim o contrato entre o jogador e o clube carioca é encerrado e o ala/armador volta para o Toronto Raptors.

O clássico entre os dois maiores times da atualidade no basquete brasileiro poderia ter sido uma fantástica forma de Leandrinho se despedir do Brasil, mas acabou sendo marcado por mais um exemplo da falta de estrutura da modalidade no País.

Com a quadra do Tijuca Tênis Clube bastante úmida e escorregadia – por conta da chuva e do fato de o ginásio não ser climatizado -, o Brasília resolveu preservar os seus principais jogadores: Arthur, Nezinho, Alex e Guilherme Giovannoni, que só atuaram por cinco minutos. Por decisão dos jogadores e do técnico José Carlos Vidal, a equipe do Distrito Federal praticamente desistiu da partida, utilizando reservas e evitando lances em que havia mais chance de lesão. “Não vou colocar em jogo a integridade física dos jogadores”, disse o treinador, ao Sportv.

Os próprios jogadores do Flamengo sabiam que a quadra não tinha condições de jogo. “Em respeito aos fãs que vieram ao jogo a gente quer que o jogo aconteça, mas temos que levar em conta a integridade física dos jogadores”, disse Marcelinho Machado, que quase conseguiu o primeiro triplo-duplo da história da NBB, com 25 pontos, nove rebotes e oito assistências.