O Iraty está perto de fazer novamente história no Campeonato Paranaense. Além de buscar o bicampeonato – em 2002 o Azulão ganhou o título do Estadual, e o Atlético o do Supercampeonato – a equipe de Irati já tem quase assegurada outra importante marca no seu currículo: o bicampeonato da artilharia. Leandro, com 18 gols, em 13 jogos, é até o momento a principal sensação do campeonato, com a incrível média de 1,38 gol por partida. Ratinho, do Rio Branco, com nove gols, é o vice-artilheiro.

Em 2005 Thiago, com 10 gols, também pelo Iraty, foi o artilheiro da competição.

O atacante do Azulão lidera a disputa nacional da cobiçada Bola de Prata, da revista Placar. Seu principal concorrente no momento é o paranaense Nilmar, do Corinthians, que em 13 jogos já balançou a rede 16 vezes, média de 1,23 gols por partida.

?Estou surpreso com tantos gols. Mas devo muito disso aos meus companheiro de equipe?, afirma com modéstia Leandro, que atendeu através do telefone de um amigo a reportagem da Tribuna.

O atacante justifica a boa fase pela maneira como vem atuando no Iraty. ?Por onde passei ficava mais atrás, ajudando a armar as jogadas e chegando ao gol. No Iraty estou mais fixo na área?, explica o goleador, que não costuma desperdiçar as chances criadas pelo time, e as bobeiras das defesas adversárias.

Revelado pelo Mirassol (SP), Leandro estava atuando na última temporada no Barueri, onde fez 13 gols e foi campeão da 3.ª Divisão Paulista.

O atacante não titubeou quando o empresário Sérgio Malucelli, presidente do Iraty, lhe ofereceu a oportunidade para jogar no Paranaense, ?e quem sabe melhorar de vida?. ?Tinha a possibilidade de permanecer no futebol paulista, mas apostei que poderia ter maior visibilidade aqui, e quem sabe depois ser negociado para outro clube?, disse Leandro, que garante que não estar preocupado no momento em sair do Iraty.

?Tudo que me foi prometido até agora está sendo cumprindo. Não tenho do que reclamar?, completa o jogador que ?deixa o seu futuro nas mãos de Malucelli?. ?Ele sabe o que faz?, argumenta Leandro, que mostra outra qualidade. A artilharia isolada e o recente estrelato não o deixam deslumbrado. ?Sei que tenho coisas para aperfeiçoar ainda. Preciso de mais velocidade e melhorar o desempenho dos chutes com o pé esquerdo?, avalia o atacante, que afirma que vem trabalhando forte também nessas duas ?deficiências?.

Outro objetivo de Leandro é ganhar o cenário nacional, para quem sabe num outro momento ?ser negociado para o exterior?. ?É o sonho de todo atleta. Mas antes prefiro me destacar no Brasileiro, fazendo gols. Isso dá respeito para depois jogar fora do País?, reflete o atacante.

Natural de Guarulhos, município da região Metropolitana de São Paulo, Leandro, 24 anos, se mostra sossegado com o seu ?novo lar?. ?A cidade é tranqüila, mais segura e diferente de onde vim. Mas estou bem aqui?, afirma

o jogador que mora com sua mulher, Flávia, num condomínio em Iraty. Mas o atacante do Azulão não esquece da família, que ainda ajuda financeiramente em São Paulo. Outro irmão, Henrique, de 17 anos, também tenta a sorte no futebol como meia-esquerda no Pinhalense.

Sobre o telefone, emprestado de amigo, o atacante dribla com categoria o questionamento. ?Meu celular ainda é de São Paulo. Tenho que comprar muitos créditos para utilizá-lo. Assim prefiro utilizar o dos amigos. Faço uma economia?, finaliza Leandro, não poupando risos para a situação.

Iraty, nova ?fábrica? de goleadores

Se depender de Sérgio Malucelli, presidente do Iraty, o ?sonho de Leandro em disputar um Campeonato Brasileiro terá que ser adiado para uma outra temporada?. ?Temos recebido algumas propostas por ele, mas o seu destino já está encaminhado?, disse ontem o dirigente, que também é o procurador do artilheiro do Paranaense. Malucelli não quis adiantar ?qual seria o destino?, mas disse que ?era para fora do Brasil?. ?Mas só depois da Copa do Brasil?, completou o presidente do Azulão. O Iraty eliminou (4 a 2) a Ulbra já no jogo de ida, no Rio Grande do Sul. Antes o Iraty enfrenta o Paraná Clube, pelas quartas-de-final do Paranaense.

Faro valorizado

O Iraty tem se destacado nos últimos anos em revelar bons atacantes. Foi assim com Thiago, que disputou o Brasileiro de 2005 pelo Coritiba e está agora no Atlético-MG; Itamar, que depois de fazer vários gols pelo Azulão ganhou espaço indo para o Goiás, Palmeiras, Atlético, São Paulo e joga hoje no futebol coreano; com Brandão, adquirido junto ao União, e depois de balançar as redes dos adversários pelo time de Irati, foi emprestado ao São Caetano e hoje está no Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, entre outros. E todos negócios renderam bons dividendos ao Iraty. O valor de Leandro ?ainda não foi estimado?, pelo clube. Nem o valor de ?compra? dos seus direitos federativos.

O segredo dos bons negócios quem conta é o próprio Sérgio Malucelli. ?Pesquisamos e investimos muito nos jogadores de frente, nos atacantes. E temos levado alguma sorte?, argumenta o dirigente que já tem os eventuais substitutos de Leandro. O atacante Geancarlos, artilheiro do Campeonato Gaúcho (veja quadro), pelo Novo Hamburgo também tem os seus direitos federativos ligados ao Iraty.

Mas caso Geancarlos ganhe o mesmo destino de Leandro, o Azulão já tem outras duas novas revelações para apresentar à sua torcida: Bruno, reserva no time profissional, e Renato, o Pitcho, 18 anos, que marcou dois gols na goleada de 5 a 3 em cima do Coritiba, na Copa Tribuna de Juniores, são os candidatos imediatos ao posto de goleador do Iraty.