Sem abrir mão da ofensividade, o técnico Roberto Fonseca optou pela entrada de Léo no ataque, ao lado de Giancarlo. Com isso, tenta fazer com que o Paraná Clube não sinta a ausência de Jefferson Maranhão, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. “Analisamos bem o Vitória e acredito que é importante termos dois jogadores de boa finalização lá na frente”, disse.

Assim, o garoto Diego, que vinha entrando nas últimas partidas – até com mais frequência do que Léo -, mais uma vez ficará no banco de reservas. “O Diego vem num processo de evolução. Esse momento serve também para o seu amadurecimento”, destacou Fonseca. Léo, que antes da mudança no comando técnico era titular da camisa 9, terá sua primeira real oportunidade com o novo treinador.

Artilheiro do Paraná na atual temporada, Léo ficou no banco nas últimas quatro partidas. Porém, só foi utilizado frente a Salgueiro (entrou aos 9 do 2.º tempo, na vaga de Kelvin) e Goiás (aos 35 do 2.º).

O jogador já balançou as redes oito vezes nesta temporada, sendo que no Brasileiro só fez um gol, justamente o da vitória sobre o Boa Esporte (ex-Ituiutaba), na primeira rodada da Série B, em Varginha-MG. “Vamos manter a pegada, mas com velocidade e precisão nos contragolpes”, avisou Fonseca.