A comissão disciplinar da Liga Francesa anunciou nesta terça-feira que vai examinar o incidente envolvendo o brasileiro Leonardo, diretor-esportivo do Paris Saint-Germain, e o árbitro Alexandre Castro. Após a partida entre PSG e Valenciennes, no último domingo, o dirigente foi flagrado pelas câmeras de tevê dando um empurrão com o ombro no juiz, quando ambos iam para o vestiário.

Caso considere que o empurrão foi proposital, a entidade francesa deve julgar o caso e, desta forma, Leonardo poderia pegar até um ano de suspensão. Ele teria agido deliberadamente depois de revoltar-se com a arbitragem de Alexandre Castro, que expulsou o brasileiro Thiago Silva ainda no primeiro tempo da partida.

Apesar de admitir que houve o contato, Leonardo negou a intenção e garantiu que o empurrão só aconteceu por causa do delegado da partida. “Foi o delegado que entrou na minha frente e bloqueou o meu caminho. Foi ele que me empurrou no juiz” garantiu. “Eu não o empurrei com o ombro, mas sim com as costas, porque fui empurrado.”

A versão do dirigente brasileiro foi prontamente desmentida pelo delegado. “Eu não entrei na frente do Leonardo em nenhum momento”, afirmou. Logo após o “encontrão” entre eles, o presidente do PSG, Nasser Al-Khelaifi, aparece nas imagens para conter Leonardo.