O show que a McLaren deu em Mônaco no ano passado está com cara de se repetir, caso os serviços meteorológicos continuem se equivocando sobre o clima na Riviera Francesa. A previsão para ontem e para todo o fim de semana era de chuva em Monte Carlo. Mas a quinta-feira foi deliciosamente amena, com temperaturas na casa dos 20 graus e um sol primaveril.

Nesse cenário, com pista seca, Lewis Hamilton foi soberano no primeiro dia de treinos para a sexta etapa do Mundial de Fórmula 1. Fez o melhor tempo do dia na segunda sessão livre, 1min15s140, ficando 0s393 à frente do segundo colocado, o surpreendente Nico Rosberg, da Williams. Numa pistinha de 3.340 metros de extensão, a diferença é uma enormidade.

Rosberg foi um corpo estranho lá na frente, como que apenas para provar que em Mônaco, de fato, o peso do piloto num resultado final é bem maior do que em circuitos tradicionais. O carro conta menos. É o que explica, por exemplo, a lamentável Honda em oitavo com Jenson Button e a ex-grande Renault em sétimo com Fernando Alonso. São bons pilotos, que compensam no talento as deficiências de seus carros num traçado de rua.

Todos eles, no entanto, em condições normais, estão longe de ser adversários para a McLaren, que tem na Ferrari sua maior rival. E, diante dela, Hamilton só teve motivos para sair sorrindo da pista ontem. O inglês colocou 0s432 em cima de Kimi Raikkonen, o terceiro colocado, e 0s729 em Felipe Massa, o quarto.

?Eu adoro este lugar?, falou Lewis, sabendo que primeiro lugar em treino livre não dá ponto, mas indica o caminho a seguir. No ano passado, a McLaren fez dobradinha em Monte Carlo com Alonso em primeiro e Hamilton em segundo. A Ferrari terminou mais de um minuto atrás, levando uma surra inesquecível. ?É por isso que nos preparamos melhor para este ano?, disse o chefe do time vermelho, Stefano Domenicali.

Apesar da preparação, as coisas não serão fáceis para a dupla de Maranello. ?Eles estão muito rápidos?, falou Massa sobre a McLaren. ?Estamos melhor que no ano passado, mas vai ser muito difícil.?

A definição do grid, em Mônaco, vale como uma corrida à parte. Todos sabem das dificuldades de ultrapassagem nas ruas estreitas do principado. A Ferrari não se encontrou com os pneus supermacios da Bridgestone. Por isso, só na borracha já perde velocidade para os prateados ingleses. Hoje é dia de folga em Monte Carlo. Os carros voltam à pista amanhã para o treino que define as posições de largada, a partir das 9h de Brasília. A meteorologia insiste que vai chover. Se isso acontecer, tudo que foi feito nos treinos deixa de ter importância. E a água passará a ser a personagem principal do fim de semana, mais do que qualquer piloto.