O Campeonato Paranaense de 2010 corre o risco de não iniciar no próximo final de semana. Ontem o advogado Nixon Fiori, que representa o Arapongas, entrou com um requerimento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pedindo para que seja cumprida a liminar que suspende a competição até que a confusão do jogo entre AFA/Foz e Arapongas, na Divisão de Acesso de 2009, seja definitivamente julgada pelo Pleno do STJD.

A liminar foi conquistada ainda em novembro de 2009, no STJD. Segundo o advogado, ela ainda está em validade e por isso a disputa estadual não pode ser iniciada.

A Federação Paranaense de Futebol (FPF), diz Fiori, ignorou a liminar ao marcar o começo do campeonato para o próximo sábado e o requerimento solicitado por ele é exatamente para que o STJD “lembre’ a FPF da existência da ação e a faça cumprir.

Fiori espera uma posição do tribunal até hoje ou amanhã. A corte paranaense apreciou o caso em dezembro e por unanimidade decidiu que o o Arapongas não tinha razão.

Caso o STJD notifique a Federação e a liminar siga em vigor, o campeonato 2010 ficará suspenso até que o recurso do Arapongas seja avaliado. E isso pode levar algum tempo, já que na pauta do Pleno do STJD, que realiza a sua primeira sessão do ano amanhã, não consta o processo do clube paranaense.

A expectativa de julgamento desta questão é para dia 21 e até lá o Paranaense 2010 poderá ficar paralisado, comprometendo as duas primeiras rodadas. O presidente do TJD-PR, Ivan Bonilha, atribuiu o atraso no julgamento à corte suprema da bola.

“Remetemos o processo ao STJD em outubro. E só na segunda quinzena de dezembro o recebi de volta do Rio, com ordem para que fosse julgado em 15 dias. Certamente houve equívoco de organização do STJD”, falou. Bonilha admite que há risco de o campeonato não começar no sábado, embora considere que a ação do Arapongas não tem fundamento.

Entenda o caso

O Arapongas pede a vaga conquistada pelo Operário, vice-campeão da Divisão de Acesso em 2009. A equipe do Norte argumenta que na partida que disputou contra o AFA/Foz, o time do Oeste utilizou vários jogadores sem registros na FPF e que isso caracterizaria WO.

O regulamento do campeonato diz que a equipe que não comparecesse a duas partidas seria desclassificada, e seus resultados, desconsiderados. Neste caso, o Arapongas passaria o Fantasma e ficaria com a segunda vaga. O Foz sofreu o primeiro WO diante do Roma de Apucarana.

Acontece que o jogo entre as equipes transcorreu normalmente, apesar das irregularidades. O TJD-PR julgou o caso em dezembro e descaracterizou o W.O, punindo o AFA/Foz apenas pelo uso de jogadores irregulares.

O Arapongas recorreu e a decisão final será dada pelo STJD. É mais uma pendenga envolvendo o já conturbado Campeonato Paranaense, que há anos não consegue transcorrer sem problemas e sem a interferência dos tribunais.