Um belo presente para a torcida do Atlético está prestes a sair do forno. Após 15 anos de espera, uma nova edição do livro sobre a história do Furacão deve ser finalmente lançada em outubro. Trata-se de um registro completo dos 86 anos do Rubro-Negro, preparado por Heriberto Ivan Machado e Valério Hoerner Júnior.

A nova obra é uma revisão ampliada do livro Atlético, a Paixão de um Povo, lançado em 1994 e conhecido como a “bíblia” dos atleticanos. “Serão 350 páginas, com 360 fotos e ilustrações, com toda a história desde a chegada da primeira bola ao Paraná, em 1903”, revela Heriberto.

A nova atração é a inclusão dos anos mais gloriosos do time da Baixada, que vão desde a construção da Arena e do CT do Caju até a conquista do Brasileirão de 2001, além das três participações do Furacão na Libertadores da América estão documentados.

Apesar de conter farto material, com riqueza e precisão em cada detalhe, o novo livro é apenas uma pequena amostra do trabalho de Heriberto. Conhecido como o historiador oficial do Atlético, o professor e pesquisador é um verdadeiro guardião da memória rubro-negra.

Trajetória

Logo após chegar a Curitiba, vindo da pequena Santo Antônio do Sudoeste, em 1968, Heriberto passou a armazenar material relacionado ao Furacão, mas foi em 1982 que o trabalho passou a ter um cunho “oficial”. “Foi quando conheci o Zinder Lins. Em 1984, começamos a escrever o livro”, recorda o professor.

Zinder Lins foi atacante nos primeiros anos do Furacão e autor da letra do hino do clube. “Ele foi juvenil em 1925. Depois, bicampeão profissional de 1929 e 1930. Viveu toda a história do Atlético. Foi a partir das histórias que o Zinder contava que começamos a escrever o livro, que é dedicado a ele”, conta Heriberto.

Zinder faleceu em 1990, mais ou menos na mesma época em que Heriberto encontrou um novo parceiro. “O Valério caiu do céu. Nos conhecemos no estádio. Eu já com um farto material e ele escritor, membro da Academia Paranaense de Letras e torcedor do Atlético desde 1946.”

No papel

Com a parceria entre Heriberto e Valério, e a ajuda de diversos atleticanos, o livro foi lançado em 1994, com uma tiragem de 5 mil exemplares, que rapidamente se esgotou. Desde então a torcida espera pela nova edição, que finalmente está prestes a sair.

O trabalho será lançado pela editora Natugraf e está em fase final de produção. “Será uma edição bem diferente”, promete Heriberto. “Além de tudo sobre o Atletico, trará uma linha do tempo com o contexto de cada década, contando a situação do futebol dentro da história do Paraná e de Curitiba”, conclui.

Próximo projeto é o museu

Outro projeto, ainda sem data para sair do papel, também está empolgando o historiador do Atlético. É o museu do clube -um memorial sobre a história rubro-negra, que é perseguido por Heriberto Ivan Machado desde os tempos da parceria com Zinder Lins.

“Há 30 anos iniciamos esse trabalho visando à construção do museu. Desde então, venho falando com todas as diretorias do clube e continuo na espera”, diz o professor.

Há alguns anos, a ideia virou um projeto consistente. “Em 2005, o clube me enviou à Europa, junto com um arquiteto e um executivo, para conhecermos os museus dos clubes de lá e preparamos o nosso”, revela Heriberto.

A comitiva atleticana visitou Manchester United, Manchester City, Barcelona, Real Madrid, Ajax e o Museu Olímpico de Lausanne, na Suíça. “Trouxemos muitas ideias pa,ra nosso projeto, que por razões outras acabou não se concretizando.”

Agora, o assunto parece novamente ganhar força junto à direção rubro-negra. “Com a Copa de 2014 e os planos de término e remodelação da Arena, o projeto foi novamente aventado. Esperamos que se concretize”, torce Heriberto.

O projeto do historiador é montar um memorial semelhante aos que encontrou na Europa. Algo ainda sem paralelo no futebol paranaense. “Fazer um museu esportivo não é apenas colocar algumas fotografias na parede e taças dentro de um armário”, sentencia.