O Londrina entra na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro de 2018 em busca do sonhado acesso à primeira divisão. Depois de não subir por três pontos, em 2016, e por apenas dois, no ano passado, a diretoria aposta que chegou a vez e a hora do Tubarão.

“Nos últimos dois anos fomos muito bem e esperamos manter o ritmo de evolução e,finalmente, subir neste ano”, disse o gestor do clube, Sérgio Malucelli.

Para a disputa do torneio nacional, o time será reforçado com sete atletas. Estão voltando de empréstimo o atacante Safirinha, que está no Novorizontino, o lateral-direito Reginaldo, que defendeu o Linense, e o atacante Wellisson, que está no União, de Francisco Beltrão. Malucelli garantiu que, além deles, vem mais gente para encorpar o elenco.

“Vamos anunciar mais quatro jogadores na semana que vem, mas ainda não podemos adiantar nomes ou a posição que buscamos para evitar concorrência”, despistou.

O dirigente, no entanto, reconhece que, mais uma vez, a parada não será nada fácil, ainda mais com a campanha irregular do Londrina no Campeonato Paranaense. Faltando duas rodadas do final da Taça Caio Júnior, o Tubarão está em nono na classificação geral, com apenas dez pontos somados em nove jogos. O mau desempenho rendeu, inclusive, a cabeça do técnico Ricardinho, substituído por Marquinhos Santos.

“Ficamos bem abaixo do que esperávamos. Pelo planejamento, sabíamos que teríamos algumas dificuldades, mas não imaginamos que fosse ser assim. Agora é trabalhar para reverter no Campeonato Brasileiro”, completou o gestor do Alviceleste.

O novo treinador busca, na disputa nacional, repetir o bom desempenho de Claudio Tencati no comando do time. Em sete anos, o técnico colecionou acessos e, por muito pouco, não levou o Londrina à divisão de elite. Por opção, Tencati deixou o time no final do ano passado e hoje está no Atlético-GO.