Em um domingo muito especial para o handebol brasileiro, a Unifil Londrina / Sercomtel venceu o Pinheiros por 15 a 11 (5 a 5) e conquistou pela primeira vez o título da Liga Petrobras de Handebol Masculino. Depois de vencer o primeiro jogo por 23 a 21, em São Paulo, o EC Pinheiros poderia perder por um gol de diferença, mas não segurou o ímpeto da equipe paranaense que, empurrada pela torcida que lotou o ginásio de esportes da Unifil, em Londrina (PR), conseguiu abrir quatro gols de vantagem e ficou com o título da competição.

Seguindo o roteiro de uma verdadeira decisão, o primeiro tempo começou extremamente nervoso e com os dois ataques sendo bloqueados com sucesso pelas defesas. O Pinheiros, um pouco mais confiante por poder jogar pelo empate, cadenciava mais a posse da bola e arriscava arremessos sem precipitação. Do outro lado, a Unifil Londrina / Sercomtel não conseguia sucesso nas finalizações, tanto que só marcou o primeiro gol aos oito minutos de jogo. Mesmo após passar o nervosismo inicial, as equipes não conseguiam produzir no ataque e o primeiro tempo terminou com um dos placares mais baixos de toda a Liga Petrobras: 5 a 5.

Após o intervalo, consciente que precisava da vitória, a Unifil Londrina / Sercomtel voltou melhor e disposta a tomar conta do confronto. Com muita velocidade e variando a tática ofensiva, a equipe do Paraná conseguiu manter três gols de diferença durante a maior parte do período. No entanto, nos minutos finais, o Pinheiros ameaçou uma perigosa reação que foi brecada com um belo gol do armador Mão-de-Onça, no último minuto, que elevou a vantagem para quatro gols e definiu o confronto.

Um dos mais emocionados da equipe paranaense era o técnico Giancarlos Ramirez que chorou muito após o jogo. "Sinceramente não tenho palavras para definir o que estou sentindo nesse momento. Acho que essa alegria que estamos proporcionando para o povo ressume tudo", disse, muito emocionado.

O armador Cezinha, um dos principais jogadores da equipe paranaense, que já havia conquistado cinco vezes o título da liga pela Metodista / São Bernardo, não teve dúvidas em afirmar que esse foi especial. "Senti uma motivação a mais na nossa equipe, já fui campeão cinco vezes, mas esse foi diferente. Batalhamos muito ao longo desses anos em busca desse título, somos todos amigos e soubemos superar as dificuldades. É a primeira vez que o título sai de São Paulo e isso é muito importante para o handebol. Essa é a hora de equipes de outras regiões buscarem mais investimento", disse o jogador, que defende a Unifil Londrina / Sercomtel desde 2002.

Já do outro lado, o armador Lito, do Pinheiros, chegou a pensar que sairia de quadra com o caneco. "As duas equipes erraram muito durante o jogo todo, que ficou igual até os 15 minutos do segundo tempo quando a Unifil conseguiu abrir vantagem. No final, conseguimos diminuir a diferença e achei que seria a hora da virada, mas não foi o suficiente", lamenta o jogador, que elogiou a postura da equipe na competição. "O segundo lugar é muito honroso, ficamos atrás de uma equipe muito boa e na frente de outras tão boas quanto", completa.

Unifil Londrina / Sercomtel: Mike, Ednaldo (5), Léo, Nande (1), Alê (3), Cezinha (3) e Carlão, além de Mão-de-Onça (3), Jair, Claudinho e Joãozinho. Técnico: Giancarlos Ramirez. EC Pinheiros: Gazola, Macedo, Vanini (3), Jardel (1), Lito (1), Rogério (1) e Guga (2), além de Folhas, Gui (3), Jorge, Luigi, Alex e Frank. Técnico: Morten Soubak. Árbitros: Marcelo Schars e Miguel Dietrich.

Mundial feminino

A seleção brasileira feminina de handebol começa a disputar hoje o campeonato mundial que acontece em São Petersburgo, na Rússia. O primeiro desafio das brasileiras será uma pedreira: a Dinamarca, atual campeã olímpica. O confronto está marcado para as 11h (de Brasília). As duas equipes integram o grupo C, ao lado de Polônia, Alemanha, Áustria e Costa do Marfim. A competição, que reúne 24 equipes, será realizada até o dia 18 de dezembro.