Antônio Lopes não anunciou o time que
hoje entra em campo contra o Fluminense.

Por mais que isso possa parecer estranho (pelo menos nesses tempos), o Coritiba entra em campo respeitando – e muito – o Fluminense, adversário das 20h30, no Couto Pereira. Invicto há cinco jogos, o Coxa precisa da vitória para subir na tabela e voltar a se aproximar dos primeiros colocados do campeonato brasileiro. Mas o pedido primordial de Antônio Lopes é o de atenção, principalmente com os “veteranos” do time.

Até porque Lopes treinou os três principais jogadores do Flu – ele chegou a trabalhar com Romário (que mais uma vez não vem a Curitiba), Edmundo e Ramón juntos, durante o Mundial de Clubes da Fifa, em 2000. “São jogadores muito experientes, de qualidade e que nós temos que ter muita atenção”, comenta o treinador, que elogia o time que treinou em 1986. “O Fluminense, hoje, consegue fazer uma mescla muito interessante entre jovens e experientes”, afirma.

Mais ainda com a necessidade de buscar o resultado, tanto coxa quanto tricolor. “Vai ser uma partida complicada, porque nós temos a obrigação de vencer, ao mesmo tempo em que o Fluminense precisa se recuperar”, explica Lopes. A situação caótica do adversário (que está sem técnico) não é tomada como favorável. “Nesses momentos os times conseguem sempre se recuperar. Vamos ter muitas dificuldades”, avisa o volante Ataliba.

E, para completar, é uma partida “de seis pontos”. O Fluminense está imediatamente atrás do Cori, e uma derrota faz o time cair, no mínimo, uma posição. “Esses confrontos são muito importantes, ainda mais dentro de casa. Precisamos conseguir a vitória”, comenta o zagueiro Flávio.

No time, Antônio Lopes -como esperado – vai manter a dúvida no time até momentos antes da partida. Mas o mistério ficou resumido a duas situações: o 4-3-3, com a entrada de Alemão, ou o 4-4-2, com a presença do jovem Massai no meio-de-campo. Fica clara a opção do técnico por um time de velocidade, tanto que a formação mais “técnica”, com Cléber e Alexandre Fávaro na armação, foi descartada.

A princípio, se o treinador mantiver o esquema de jogo, Alemão seria preterido para a entrada de Massai. O jogador de 19 anos já pensa em aproveitar a primeira chance nos profissionais. “Eu ficaria muito feliz. É uma oportunidade que estou esperando há muito tempo”, diz ele, que não sabe explicar o porquê de seu nome (Massai é o prenome do armador). “Pelo que sei, é o nome de uma tribo indígena”, conta.

Contratado

Reginaldo Vital será mais uma opção para o segundo turno do Coritiba. O volante finalmente assinou contrato com o Coxa, após quase três meses de recuperação física e avaliação técnica. Aprovado por Antônio Lopes, ele ganha a oportunidade que não teve nos últimos sete meses – e que muitos nem acreditavam que ele fosse receber. No final das contas, Vital passa a ser um dos poucos jogadores com passagens pelos três grandes da capital.

Vital já está integrado

Reginaldo Vital será mais uma opção para o segundo turno do Coritiba. O volante finalmente assinou contrato com o Coxa, após quase três meses de recuperação física e avaliação técnica. Aprovado por Antônio Lopes, ele ganha a oportunidade que não teve nos últimos sete meses.

Chegou-se a dizer que Reginaldo estava ‘acabado’ para o futebol. “Ninguém sabe como isso machuca. Eu me magoei muito com essas críticas”, comenta o volante, com nítida tristeza. Após sair do Consadole Sapporo, do Japão, ele ficou em disponibilidade por cinco meses, sem que qualquer clube (inclusive Paraná Clube e Atlético, onde já atuou) manifestasse interesse. “Por isso eu tenho que agradecer sempre ao Coritiba, que me abriu as portas.”

Reginaldo Vital não será utilizado de pronto. Além dele ainda estar precisando entrar em forma ideal, sua documentação não veio do Japão. Apesar de mais um tempo para esperar, ele festeja o retorno ao futebol, ainda mais entrando na história do futebol paranaense. “É uma honra muito grande ser um dos poucos jogadores a jogar em Coritiba, Paraná e Atlético.”

Fluminense vem com muitos desfalques

Rio

– O Fluminense quer dar fim ao tabu de ainda não ter vencido fora de casa no campeonato brasileiro. É esse o maior desafio do técnico interino Alexandre Gama, substituto de Ricardo Gomes, que faz sua estréia hoje.

Apenas a zaga está definida, com Leonardo Moura, Odvan, Antônio Carlos e Júnior César. O atacante Romário continuará fazendo trabalho físico e somente deve retornar à equipe no jogo de domingo, contra o São Paulo. Além dele, o meia Roger e o goleiro Fernando Henrique estavam ontem com a seleção brasileira, no Haiti.

Para substituir Fernando Henrique, Gama recorreu a um velho conhecido da torcida: o experiente goleiro Kléber.

No treino de ontem, Gama escalou primeiramente Marcão e Arouca como volantes, além de Maicon e Ramon como meias de ligação. Alex e Edmundo compuseram o ataque. A tendência é que essa formação inicie a partida.

CAMPEONATO BRASILEIRO
25ª Rodada
Local: Couto Pereira
Horário: 20h30
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (FIFA-SC)
Assistentes: Alcides Zawaski Pazetto (SC) e Claudemir Maffessoni (SC)
TV: NET, pay-per-view, canal 77, tel.: 4004-7777 e 331-8686
Tempo: Estável, com poucas chances de chuva.
Temperatura: Média de 13ºC durante a partida.

Coritiba x Fluminense

Coritiba
Fernando; Jucemar, Flávio, Alexandre e Ricardo; Ataliba, Roberto Brum, Capixaba e Massai; Tuta e Aristizábal Técnico: Antônio Lopes

Fluminense
Kleber; Leonardo Moura, Odvan, Antônio Carlos e Júnior César; Marcão, Arouca, Maicon (Esquerdinha) e Ramon; Edmundo e Alex (Mauro ou Alessandro) Técnico: Alexandre Gama