O jogo de amanhã – às 16h, no Pinheirão – define quem se mantém na luta pela classificação à segunda fase do Campeonato Paranaense. O Paraná Clube tenta ?despachar? o Rio Branco, um de seus concorrentes diretos pela quarta vaga do Grupo A.

Como só a vitória interessa, o técnico Lori Sandri fez alterações na equipe, visando uma formação mais ofensiva e capaz de balançar a rede adversária.

O ala Giuliano e o atacante Wellington Paulista foram confirmados, mas o treinador preferiu ?fazer mistério? e não antecipou qual a estratégia de jogo será aplicada no início da partida. No coletivo de ontem à tarde, testou o 4-4-2 e o 3-5-2, mas foi incisivo quando indagado sobre qual formação mais lhe agradou. ?Gostei das duas e não vou dar armas para o Val de Melo?, disse.

O técnico do Rio Branco e a torcida tricolor só saberão qual equipe entrará em campo amanhã, momentos antes da bola rolar. Desde que assumiu o clube, Lori sempre deixou claro que a sua equipe é definida nos coletivos. Até ontem, não havia feito trocas significativas nos aprontos, na tentativa de adaptar o elenco à sua forma de trabalho. Desta vez, porém, com uma simples troca, o treinador deixou no ar a possibilidade de escalar três zagueiros ou dois meias de criação.

No início do treino, armou o time no 4-4-2, com André Pastor ao lado de Thiago Neves no meio-de-campo. Só que a movimentação, ao que tudo indica, não satisfez plenamente. Os dois meias são canhotos e em muitos momentos a equipe deixou de utilizar o lado direito. Na segunda fase da atividade, Lori retornou ao 3-5-2, com João Vitor compondo a zaga para a saída de André Pastor. ?Gostei da movimentação, pois o time criou várias situações de gol?, comentou o técnico, sem deixar escapar qual das esquematizações será utilizada.

Só confirmou a presença de Wellington Paulista no ataque e de Giuliano na ala direita. Lori já escalou – nos três últimos jogos – Giba e Marlon. Agora, Wellington Paulista terá a chance de iniciar uma partida, o que não ocorre desde a quarta rodada do estadual. ?Sei que não fui bem e por isso aceitei na boa quando fui sacado. Afinal, atacante vive de gols?, disse Wellington. ?Mas, no ano passado, fiz bons jogos no início do Brasileiro e é isso que eu quero resgatar, a partir deste sábado?, assegurou. Giuliano terá a primeira chance com Lori Sandri, que não estava satisfeito com a produção do garoto Alex.

Falta de chance pode tirar artilheiro da Vila

Vandinho interessa o São Paulo.

O atacante Vandinho pode trocar a Vila Capanema pelo Morumbi. O empresário Luiz Alberto – que detém os direitos federativos do atleta – confirmou que a transação está adiantada e Vandinho deverá disputar um torneio internacional pelo São Paulo. Destaque do Tricolor na Copa São Paulo de Juniores, o atacante ainda não foi utilizado pelo clube no Campeonato Paranaense.

Essa situação gerou um descontentamento do empresário, que agora decidiu negociar o atleta. ?Há tempo que vários clubes têm tentado a sua contratação. Mas, sempre dei prioridade ao Paraná. Mas como ele não está sendo aproveitado, acho que o melhor é emprestá-lo para outro clube?, disse Luiz Alberto, proprietário da LA Sports, que mantém parceria com o Paraná Clube na manutenção da infra-estrutura das categorias de base.

?Faltam alguns detalhes, pois minha intenção é mantê-lo vinculado ao Paraná, com a estipulação de um valor para a compra de seus direitos federativos?, explicou. O São Paulo irá disputar um torneio sub-20 na Suíça, do qual participarão vários clubes europeus. ?O São Paulo tinha cinco olheiros na Copa SP e todos recomendaram a contratação do Vandinho?, revelou o agente do atleta.

Luiz Alberto, no entanto, disse que poderá rever essa situação e manter Vandinho no Paraná, caso ele esteja nos planos do técnico Lori Sandri. Além da utilização do atleta, a permanência do atacante dependeria da classificação do Tricolor para a próxima fase do Paranaense.