O Brasil conquistou mais três medalhas, sendo uma de ouro nos Jogos Paraolímpicos de Pequim, neste sábado (13). O velocista Lucas Prado ganhou o 11.º ouro brasileiro. A corredora Terezinha Guilhermina e a nadadora Verônica Almeida levaram o bronze.

O corredor quebrou o recorde mundial dos 200m da categoria T11 (cegos totais), com o tempo de 22s48, abaixo de sua própria marca anterior, de 22s70. Considerado o mais veloz dos atletas paraolímpicos, Prado, de 23 anos, já havia conquistado o ouro nos 100 metros rasos, também com recorde mundial.

Também no atletismo, Terezinha Guilhermina, da classe T11, obteve o bronze nos 400 metros rasos, sua segunda medalha nos Jogos de Pequim. Apesar de ser completamente cega, a brasileira disputou a prova com atletas da classe T12, com baixa visão, pois a prova para sua classe não é oferecida na competição. Guilhermina ainda vai participar dos 200 metros nesta segunda-feira.

No Cubo D’Água, a atleta Verônica Almeida se tornou a primeira brasileira a ganhar uma medalha na natação nesta edição da Paraolimpíada. Ela conquistou o bronze nos 50m borboleta, classe S7, com o tempo de 38s49.

Ainda neste sábado, Luiz Algacir e Welder Knaf garantiram vaga na semifinal da disputa em dupla no tênis de mesa para cadeirantes. No futebol de 5, os brasileiros golearam a Grã-Bretanha por 5 a 0 e vão enfrentar a China na segunda-feira.

No ciclismo, o Brasil encerrou sua participação na prova de estrada. Soelito Ghor foi o sexto colocado na multiclasses LC1/LC2/CP4, na competição de 72,6km em 6 voltas. E Flaviano Carvalho chegou na 14ª colocação na multiclasses LC3/LC4/CP3, disputada em 5 voltas, completando 60,5 quilômetros.

Dia de despedida também para o vôlei sentado. Na decisão do quinto lugar, a equipe nacional perdeu para os chineses por 3 sets a 1 (25/17, 17/25, 25/18 e 25/13), encerrando a participação em Pequim na sexta posição da modalidade.