Os empates da seleção brasileira nas duas primeiras partidas da Copa América levaram o zagueiro Lúcio a cobrar mais seriedade do grupo de jogadores para que a equipe não seja precocemente eliminada na Argentina. Para o capitão da equipe dirigida por Mano Menezes, o Brasil não irá longe no torneio se confiar apenas no talento dos destaques individuais.

“A gente tem que preservar a seriedade e o comprometimento com a seleção. O símbolo na frente da camisa é mais importante do que o nome que fica atrás. Estamos representado uma nação, todos que estão aqui deixaram de tirar ferias. Ninguém vem aqui para brincar”, afirmou, nesta segunda-feira.

Lúcio ressaltou que os jogadores precisam mostrar na seleção porque mereceram ser convocados e avaliou que não se deve defender a equipe apenas pela vitrine que ela representa para uma transferência para os principais clubes do futebol mundial. “Cada um tem que dar o seu máximo, o seu melhor, dentro do campo não vai mudar o fato de ter experiência ou não. Cada um tem que mostrar porque está na seleção. Aqui não é só uma vitrine mundial”, disse.

O capitão da seleção brasileira também criticou o excesso de individualismo e alertou que a equipe só vencerá se o conjunto funcionar bem. “Somos uma equipe e não são dois ou três que vão fazer a diferença. Temos que estar bem como conjunto, que é sempre o mais forte da seleção”, afirmou.

O zagueiro pediu para a equipe jogar com mais seriedade e culpou a falta de cuidado do sistema defensivo pelos gols feitos pelo Paraguai no empate por 2 a 2 de sábado. “O fundamental é a seriedade. Acredito que nossa equipe arriscou demais na defesa, onde é preciso jogar mais sério”, analisou.

Lúcio admitiu que a ansiedade pode afetar o desempenho dos jogadores menos experientes da seleção brasileira, mas minimizou o risco de eliminação na primeira fase da Copa América. “Acredito que é normal os mais novos terem um pouco mais de ansiedade. Mas não podemos fazer uma tempestade. Depende somente da gente, seria mais difícil se dependêssemos do outro resultado”, comentou.

Após a disputa de duas rodadas do Grupo B, a Venezuela lidera a chave com quatro pontos. O Brasil divide a segunda colocação com o Paraguai, com dois pontos, e enfrenta na próxima quarta-feira o lanterna Equador, que somou apenas um ponto.