Com o encerramento do contrato de patrocínio entre o Malutrom e a Renault, o clube teve que dar uma pausa no projeto social do clube, que visava tirar crianças da rua para que se dedicassem à prática do futebol. No entanto, o clube continua se preocupando com a questão social. “O Malutrom surgiu com essa proposta e queremos continuar ajudando de alguma forma”, diz o presidente de honra do clube, Joel Malucelli.

O alviceleste firmou uma parceira com a organização não-governamental (ONG) Casa da Videira, que desenvolve um trabalho comunitário com sessenta crianças, de 8 a 15 anos, moradoras da comunidade Bom Menino, próxima ao Carrefour Champagnat. Aos sábados, o Malutrom disponibiliza todos os campos de treinamentos e até mesmo as oficinas do grupo J.Malucelli, ocupadas durante a semana por mecânicos de máquinas de terraplanagem. O refeitório vira sala para atendimentos às crianças, que participam do Clube do Livro e recebem a visita de voluntários que executam trabalho de prevenção, envolvendo aplicação de flúor, e atendimento dentário. Em breve, deve ser implantada nas dependências do clube uma escola de informática.

A ONG exige que todas as crianças que participam das atividades no Malutrom estejam matriculadas em escolas de bairro, fazendo das atividades realizadas no clube uma complementação do processo educacional da garotada, que acabam ficando mais tempo longe das ruas e menos suscetíveis à marginalização.