O jogo contra o Coritiba, no sábado, virou assunto secundário na entrevista coletiva de Mano Menezes na tarde desta sexta-feira. O tema principal foi sua saída do clube. Seu contrato, que termina em dezembro, não será renovado. O técnico, no entanto, tentou fugir de todas as perguntas a respeito do tema. A entrevista teve um tom de despedida. Mano jogou a responsabilidade nas mãos da diretoria e evitou fazer balanço sobre sua curta passagem, de apenas um ano.

“Acho que quem tem de falar é o presidente. Minha preocupação, no momento, não é o ano que vem, devemos nos esforçar por uma vaga na Copa Libertadores”, afirmou o treinador, que terá somente mais sete jogos à frente da equipe.

No último sábado, o presidente Mário Gobbi admitiu publicamente que Mano não continua no clube em 2015. Um dos motivos é que haverá eleições para presidente em fevereiro. Gobbi disse que, por isso, não renovaria com Mano e adiantou que o Corinthians terá técnico interino em janeiro.

“O Corinthians confiou no nível dos profissionais que está aqui, sabe quem eles têm casa, e nós não vamos perder nossa motivação”, disse Mano. “Cabe a vocês analisarem se um ano é pouco. Não cabe a mim falar em causa própria.”

Gobbi assistiu a uma parte do treino, ao rachão, ao lado de Mano Menezes. O treinador disse que se dá bem com o presidente e que entendeu as declarações de Gobbi. Mano afirmou ainda que acompanha o planejamento do time porque tem contrato até 31 de dezembro.

Irônico, disse que é bem pago para isso. “Como vocês leram nesta semana, eu recebo um bom salário. Se recebo, é porque mereço. Vou executar todas as minhas funções até o fim do meu contrato.” O treinador recebe R$ 600 mil por mês.

TIME – Mano fechou a principal parte do treino. Ele manteve um certo mistério e não revelou se escalará Jadson ou Danilo no meio-campo. Nas demais posições, o time está definido. Uendel joga na lateral-esquerda (Fábio Santos está suspenso). Ainda sem Guerrero, também suspenso, o técnico vai escalar Luciano e Malcom.