O zagueiro Manoel é a grande novidade na lista de relacionados do Atlético para a viagem de hoje rumo a Brasília. No estádio Mané Garrincha, o Furacão enfrenta o Cruzeiro amanhã, às 18h30, pela terceira rodada do Brasileirão. A decisão que pôs o jogador de volta no time principal, contudo, não é técnica. Ameaçado de encarar uma ação judicial, o departamento jurídico atleticano orientou a diretoria a reintegrar Manoel atendendo à notificação extrajudicial dos representantes do jogador anunciada na quarta-feira.

No dia 12 de abril o Atlético surpreendeu ao informar em uma nota oficial, que o jogador estava afastado do grupo principal até ser negociado. Já na última quarta-feira o jogador notificou o clube exigindo ser reintegrado imediatamente ao grupo. “Queremos que ele seja reintegrado formalmente e publicamente, através do site, ao elenco principal. Isso não apaga o abuso que já aconteceu e o assédio que já ocorreu”, explicou o advogado Henrique Caron.

A mudança de postura do Atlético aconteceu ontem. Em seu site o clube divulgou a lista dos relacionados e Manoel aparece entre os escolhidos para a viagem. Antes disso, porém, ainda na quarta-feira, o clube publicou que na verdade o jogador não estava afastado, contrariando o que disse anteriormente, dizendo que a decisão de não escalar o zagueiro era da comissão técnica.

A Tribuna 98 entrou em contato com o empresário do jogador para comentar a mudança de filosofia da diretoria. “Não sei de nada. É tudo com os advogados agora”, disse Neco Cirne. Anteriormente o próprio empresário disse que mesmo que o clube voltasse atrás e pedisse a volta de Manoel, o jogador não mais vestiria a camisa do Rubro-Negro.

Miguel Ángel Portugal foi questionado sobre não escalar Manoel, afinal a diretoria disse que era uma decisão da comissão técnica. “Eu trabalho com jogadores que a comissão técnica quer, não apenas eu. Nesse sentido a comissão tomou uma decisão e não vou fazer nenhum comentário”, disse ao GloboEsporte.com.

A grande questão, porém, ainda diz respeito a problemas com a renovação de contrato do jogador. O clube quer ampliar o vínculo do jogador, que termina no final de 2015, para negociá-lo com um lucro maior.