Durante parte da fase de classificação da Taça Guanabara, o técnico Oswaldo de Oliveira teve de lidar com a falta de volantes no Botafogo, devido principalmente às lesões. Chegou a improvisar o lateral-esquerdo Júlio Cesar na posição e, no último jogo, o meia Fellype Gabriel atuou mais uma vez como segundo volante. Agora, justamente na fase final, o treinador pôde voltar a contar com Marcelo Mattos.

O volante, que tinha se lesionado na vitória sobre o Resende, em 7 de fevereiro, só voltou na semifinal contra o Flamengo, no último domingo. Jogou os 90 minutos na vitória por 2 a 0 que garantiu o Botafogo na final, domingo que vem, em jogo único contra o Vasco. “Para atuar 90 minutos, é preciso dedicação para superar o cansaço e entrar no vestiário de cabeça erguida”, disse.

“A melhor coisa do futebol é o sofrimento para vencer. Esse é o dilema do nosso time. Temos jogadores experientes que procuram passar isso para os outros. Só com sofrimento se chega a algum lugar”, afirmou o volante, que em 2012 passou por duas cirurgias.

Nesta terça-feira, o atacante Bruno Mendes, que perdeu a vaga de titular para Rafael Marques nos últimos jogos, voltou a treinar depois de uma virose. O atleta participou de atividade com os jogadores que atuaram menos de 45 minutos contra o Flamengo.