O tumulto generalizado no final da partida pode prejudicar o Atlético. Isso vai depender do que o árbitro Edivaldo Elias da Silva colocar na súmula. Logo após o apito final, o zagueiro Ciro recebeu um soco do atacante Marcelo Ramos. Não se sabe o que levou o experiente jogador a agir desta maneira. Marcelo não se pronunciou após a partida e portanto ficou apenas a versão do agredido.

Caso seja penalizado, Marcelo pode dar adeus à fase final do Paranaense e ao sonho de brigar pela artilharia da competição. Ele está três gols atrás de Keirrison, do Coritiba, que joga hoje.

Soco

De acordo com Ciro, a agressão foi sem motivo. ?Durante a partida não houve nenhum problema. No final fui cumprimentá-lo e estiquei a mão. Ele abaixou a cabeça e não me cumprimentou. Foi em direção ao vestiário. Daí eu disse: ?Tenha a educação de me cumprimentar, pô?. Um colega meu falou pro Marcelo: ?Tenha educação que você vai jogar lá?. Daí (Marcelo) voltou e me deu o soco?, explicou o zagueiro.

Ciro contou que iria realizar o Boletim de Ocorrência se a direção do Toledo determinasse. ?Estou tranqüilo quanto a isso e vou deixar a cargo da diretoria?, afirmou.

Pelo Atlético, apenas o capitão Antônio Carlos comentou o fato. ?Todos conhecem o Marcelo. É um jogador tranqüilo que não arruma confusão com ninguém. Então algo aconteceu pra deixar ele irritado. A agressão eu não vi pois estava do outro lado?, disse.

O presidente do TCW, Irno Piccinini, condenou a agressão e disse que quer ver qual será a análise do fato pelo TJD da FPF. ?Só não pode é jogar a culpa do ocorrido no Toledo. Todo mundo viu o que ele (Marcelo) fez?, comentou Piccinini.