Ruim com ele, pior sem ele. Pode ser resumida assim a parceria do empresário Marcos Amaral, proprietário da Amaral Sports, com o Paraná Clube nas últimas temporadas. Depois de quase cinco anos apoiando o futebol paranista, o empresário, que largou o ramo da construção civil para se dedicar somente a esta atividade, é um dos suportes dos dirigentes do Tricolor na tentativa de resolução da crise financeira que o clube atravessa nas últimas temporadas, tanto que estava ao lado da diretoria na entrevista coletiva realizada na semana passada para tratar do atual panorama ruim que atravessa as finanças do time da Vila Capanema.

Parceiro do Tricolor, empresário e representante de diversos atletas que fazem parte do time comandado pelo técnico Claudinei Oliveira, Marcos Amaral acredita que somente a união de todos os paranistas, sendo associados, torcedores e empresários, pode tirar o clube da situação delicada em que se encontra, tanto na classificação da Série B, onde ocupa a 16ª colocação, na porta da zona de rebaixamento, quanto na área estrutural do Tricolor.

“O momento do clube é delicado e mais do que nunca será preciso o apoio de todos. Sou parceiro do Paraná hoje, mas o clube está precisando de mais parceiros e empresários que possam estar ajudando nesse momento difícil. Tenho certeza que o Paraná, de tanta tradição e glórias, pode retomar seu caminho com a união de todos aqueles que amam essas cores e essa camisa”, frisou o empresário. “Esse é o momento de deixar a vaidade de lado e o momento de dirigentes e ex-dirigentes que gostam de verdade do clube estarem se unindo em prol do Paraná”, emendou.

Marcos Amaral admitiu que a crise do Tricolor, também dentro de campo com os resultados ruins colhidos até agora na Série B, pode ser resumida apenas à falta de recursos e de condições de pagar os salários de jogadores e funcionários dentro do prazo.

“Acredito que neste momento o clube não tenha nenhum problema estrutural. Se não tiver dinheiro as coisas não funcionam. A diretoria está correndo atrás dos recursos para colocar a casa em dia. Se tudo de certo, com a cabeça mais tranquila, a direção terá condições de estruturar o Paraná da melhor maneira possível”, acrescentou.

Apesar de negar, especula-se nos bastidores que Amaral arca com os salários de alguns dos seus jogadores quando o Paraná não consegue arcar com seus compromissos em dia. Independentemente da situação financeira do Tricolor, o empresário acredita que a falta de sorte é também responsável pelo momento ruim do time paranista na Segunda Divisão.

“Acho que tem faltado um pouco de sorte. Contra a Portuguesa, por exemplo, estávamos descendo, eu e o presidente Rubens (Bohlen) para comemorar a vitória e acabamos tomando o empate aos 47 minutos. Contra o América-MG também levamos o gol no fim depois de dominarmos a partida. Falta um pouco de sorte e os jogadores, quando entram em campo, esquecem da questão financeira e se doam ao máximo para ajudar o Paraná”, concluiu Amaral.

Paraná Online no Facebook