Nome do Atletiba, o atacante Marcos Aurélio explicou que procurou o jogo o tempo inteiro e que não se abalou com as vaias recebidas dos torcedores do Atlético. Pelo contrário.

Quando fez o gol, até fez o gesto tradicional de colocar as mãos nos ouvidos para ouvir a galera rubro-negra. “Até porque quando acabou o primeiro tempo eles me vaiaram um pouquinho quando fui sair, então no momento em que fiz o gol coloquei as mãos no ouvido para ouvir eles vaiarem de novo.

Essa foi a comemoração”, revelou o jogador alviverde. No ano passado, ele também foi decisivo e marcou o gol da vitória contra o Furacão. Por isso, as vaias, mas ele não se abalou e não desistiu.

“Foi um jogo em que procurei me movimentar bastante, procurei sempre estar com a bola no pé, sempre querer o jogo e hoje (ontem) na minha avaliação me dou nota dez pela movimentação e pela persistência em querer cobrar as faltas. Fui feliz em voltar a marcar em clássicos”, disse Marcos Aurélio.

Valeu a persistência? “Já tinha batido umas duas cobranças e na terceira parei um pouquinho e pensei, dei uma respirada até porque foi num lado em que gosto de bater e venho treinando daquele lado ali. Fui feliz mais uma vez de bater bem na bola”, declarou o camisa 10.

Ele revelou que treinou bastante na sexta-feira, quando o técnico Ney Franco fez um trabalho fechado no Couto Pereira. “Eu vinha treinando daquele lado ali, o professor Ney pediu que eu acertasse o gol e no momento em que teve aquela cobrança até tinha uma jogada ensaiada comigo e com o Fabinho, mas no momento em que saiu eu falei para o Fabinho que queria bater. Mais uma vez fui muito feliz até porque ele colocou a barreira do lado esquerdo pensando que eu iria bater no lado esquerdo, mas eu procurei bater no contrapé dele e fui muito feliz”, comemorou.

Aliás, ele estava tão bem que até discutiu com Ariel numa jogada que poderia valer a virada. “Eu estava mais bem colocado e foi uma discussão sadia. Temos uma amizade muito boa e só falei para ele que estava bem colocado para a completar a jogada”, brincou.

Na verdade, o lance foi mais áspero, mas nada que quebre a satisfação pelo empate conquistado em plena Arena. “A vitória não veio, mas esse empate está de bom tamanho para a gente e já temos que pensar no próximo jogo, pensar que podemos vencer o Corinthians para garantir o supermando”, finalizou o atacante.