O Maringá está em êxtase após o empate em 1×1 contra o Coritiba. Não somente pelo resultado, que somado à vitória maiúscula por 2×1 na partida de ida garantiu ao clube a condição de primeiro finalista do Campeonato Paranaense – e ainda contar com calendário para o segundo semestre, onde disputará a Série D do Brasileiro -, mas também pelo fato de, do alto de seus quatro anos de existência, recolocar a Cidade Canção na principal rota do futebol estadual. ‘Maringá, depois de muito tempo, conseguiu voltar para o cenário paranaense, e já vamos para o cenário nacional. Não tinha vivido essa experiência de tirar uma potência do Campeonato Paranaense e chegar a final, e agora é manter isso aí, o projeto aqui é muito bom e a cidade merece’, comemorou o volante Serginho Paulista.

O último grande momento vivido em solo maringaense havida sido em 1981, quando o então Grêmio Maringá alcançou as finais do Estadual. Na oportunidade, entretanto, a equipe foi derrotada pelo Londrina no clássico do Norte pioneiro do Estado. 33 anos depois, o Maringá Futebol Clube, que subiu ano passado à elite do futebol paranaense e era cotado como um dos principais postulantes ao rebaixamento faz história.

Com a melhor campanha geral da competição, a Zebra terá a semana cheia para treinamentos, e quer o caneco. ‘Pra gente que é da cidade de Maringá é um prazer muito grande levar o clube para a final. Agora vamos trabalhar durante a semana pra conseguir levantar esse caneco’, afirma o goleiro Ednaldo, personagem fundamental para a classificação.