Na visita que os cerca de 40 integrantes do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo e da Fifa realizaram ontem, na Arena da Baixada, o secretário estadual de Assuntos para Copa, Mário Celso Cunha, fez um depoimento contundente sobre a necessidade de o Atlético conseguir o empréstimo do Banco Nacional do Desenvolvimento Social e Econômico (BNDES) para adequar o estádio às exigências do Mundial. Segundo ele, o momento é de otimismo e apreensão. “Nos próximos dias vamos ter novidades, porque sem liberação o estádio não pode ser concluído”, reforçou.

Para completar, o secretário municipal para Assuntos da Copa do Mundo, Luiz de Carvalho, disse que não há como o Atlético não comprometer seu patrimônio para ter os retornos que espera. “O clube vai dar um salto em seu patrimônio muito grande e é justo que também coloque alguma garantia para que dê este salto. Você não consegue crescer sem se comprometer, e para este crescimento haverá comprometimento do clube”, afirmou.

Já os técnicos do COL e da Fifa não quiseram entrar no mérito de como serão obtidos os recursos para construir o estádio. “Não estamos emitindo parecer ou julgamento. Para nós, o importante é que o Atlético está dentro do que está previsto, e até com certa vantagem em relação à data estipulada no contrato assinado entre o clube e a Fifa, que é 31 de dezembro de 2013”, disse Ricardo Trade, diretor executivo de operações do COL. Essa é a data final para que o estádio seja concluído.