O meia Marquinhos vai aos poucos se encaixando no grupo seleto de Paulo Henrique, Neymar e Robinho no Santos. O jogador não pode ser considerado mais um dos meninos da Vila, como também ainda não chega a ser veterano, mas por se encontrar numa faixa de idade intermediária, é tratado com respeito pelos companheiros e raramente participa das brincadeiras, além de ser chamado de patrão pelos garotos.

“Até parece que eles não sabem que eu tenho apenas 28 anos”, defendeu-se o meia, escolhido por Dorival Júnior para ser o líder no meio-de-campo do novo Santos. Depois de 16 jogos e seis gols marcados, Marquinhos já pode ser considerado tão indispensável à equipe quanto os principais xodós da torcida, já que está em perfeita sintonia com os principais talentos do time.

Mas nem esse sucesso contamina a visão realista do meia. Para Marquinhos, assim como afirmou Dorival após a goleada deste domingo sobre o Monte Azul, por 5 a 0, o Santos não teve uma grande atuação. Além disso, o meia também acha que ainda é cedo para se falar em Santos campeão, apesar de o time estar sobrando no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil.

“De nada adianta se a gente jogar bem e ter esses números expressivos se no final do Campeonato Paulista o nosso capitão Robinho não erguer a taça de campeão”, afirmou Marquinhos. No domingo, ele abriu o caminho para a goleada com uma cobrança perfeita de falta. Depois, ainda marcou o quarto, e só não foi o melhor em campo porque Paulo Henrique também fez dois gols e brilhou.