Marquinhos quer deixar um presentão.

Com três jogos pela frente, o Paraná Clube faz as contas e busca os pontos necessários para a conquista de uma vaga à Copa Sul-Americana. Paralelamente a isso, dois jogadores lutam por vitórias pessoais neste Brasileirão. Parte deste objetivo já foi alcançado por Marquinhos e Renaldo. A dupla já obteve – com o bom futebol e a regularidade ao longo da competição – destaque suficiente para despertar o interesse de outros clubes do Brasil e do exterior.

Enquanto o artilheiro Renaldo estuda várias propostas – com uma negociação em estágio adiantado com o futebol sul-coreano – o meia Marquinhos pode ter a sua real oportunidade no Bayer Leverkusen, da Alemanha. O clube é detentor dos direitos federativos do atleta e já requisitou sua apresentação no início de janeiro. O jogador conseguiu recuperar no Paraná o bom futebol que o levou para o Bayer. Em sua segunda passagem pelo clube, o meia já marcou 14 gols, mas busca novas marcas nesta reta final do campeonato brasileiro.

Marquinhos chegou para o Tricolor no ano passado. Fez um bom campeonato paranaense, mas depois optou por defender o Flamengo no Nacional. Não se firmou no time e deu “um passo atrás” para retomar o fôlego. De volta ao Paraná, amargou a decepcionante campanha no estadual deste ano, mas não desistiu. Com a reformulação do elenco, ganhou a companhia de Caio, Fernandinho e Renaldo. Era o que faltava.

O quarteto está conduzindo o Tricolor nesta campanha, que apesar dos altos e baixos (causados pelas sucessivas mudanças no comando técnico), a melhor dos últimos anos. Caso termine na frente do 10.º lugar, será a colocação mais expressiva do clube nestes onze anos de presença na primeira divisão (à exceção do 5.º na Copa João Havelange de 2000, onde o time saiu da “segundona” e quase disputou as semifinais).

Marquinhos tem ainda duas metas a atingir. A primeira delas, uma tarefa conjunta. “Temos que assegurar essa competição internacional para o clube, pois sabemos o que ela representa para o futuro do Paraná”, comentou o jogador. A outra, é puramente individual. Com 14 gols, Marquinhos ainda sonha em ultrapassar Alex, do Cruzeiro, e terminar o ano como o meio-campista que mais gols marcou no Brasileirão.

“Ele tem dois gols de vantagem e sei que preciso pôr um fim a esse incômodo jejum”, disse Marquinhos. O meia fez seu último gol há quarenta dias e “passou em branco” nas últimas seis partidas do Tricolor. “Felizmente, outros jogadores, e principalmente o Renaldo, têm feito os gols. Mas, não vejo a hora de desempacar”. Depois disso, Marquinhos volta as atenções para o futuro, mas avisa que só permanecerá na Alemanha se for para jogar. “Estou numa fase que preciso estar atuando. Só assim conseguirei a projeção que espero”, finalizou o meia, ainda acreditando ter chances de uma convocação para a seleção sub-23.

Homenagem mais que justa

O Paraná Clube retoma amanhã uma antiga tradição: o jantar de confraternização de ex-atletas dos vários clubes que deram origem ao Tricolor. Desta vez, a festa será uma homenagem aos 50 anos de conquista do Ferroviário, campeão paranaense do centenário de emancipação política do Estado, em 1953. A celebração será a partir das 19h30, na sede social do clube, na Kennedy.

Na oportunidade, a diretoria estará homenageando os atletas que conquistaram o título daquele ano, justamente no dia 28 de novembro de 1953 (o Ferroviário derrotou a Cambaraense por 2×1). São eles o desembargador Adholdo Kruger Pereira (Afinho), Alceu Zauer, Zé Carlos, Ismael Cordeiro, Rubens Melantonio, Juarez Teixeira, Maurilio Paiva, Robertinho e João Casnok Júnior.

Também estarão presentes à comemoração os ex-atletas dos clubes que originaram o Paraná Clube – Clube Atlético Ferroviário, Britânia Esporte Clube, Palestra Itália, Água Verde, Pinheiros e Colorado, que anualmente se reúnem a convite de Oswaldo Maçaneiro. Podem participar associados, simpatizantes e torcedores. Maiores informações no 3029-4747 (ramal 264). Os convites custam R$ 15,00.

História

Para ser campeão, o Ferroviário teve de encarar a Cambaraense. Empatados com 28 pontos, Ferroviário e Cambareaense se enfrentaram na última rodada, em 28 de novembro, no Durival de Britto. O Ferroviário venceu por 2 a 1.

Foram disputados 85 jogos e 359 gols, com média de 4,22. O time campeão decidiu com Robertinho, Tico e Marcelinho; Lalo, Tocafundo e Alceu; China, Isauldo, Juarez, Afinho e Maurílio.