O Palmeiras confirmou a tese de ser um bom visitante e venceu o Atlético Mineiro por 2 a 1, no Mineirão. Na tarde em que as estrelas Edmundo e Valdivia não brilharam, quem decidiu a partida foi o meia Martinez, que marcou os dois gols da vitória da equipe alviverde. O time contou também com a sorte, já que a sua trave foi carimbada três vezes durante a partida. Com o resultado, o Palmeiras volta a se aproximar do grupo que briga por uma vaga na Copa Libertadores, com 30 pontos, enquanto os anfitriões permanecem com 25.

O primeiro tempo começou eletrizante. Logo no primeiro minuto, o Atlético abriu o placar, mas teve o gol anulado. Coelho bateu falta na lateral do campo, a bola desviou em um atacante atleticano e sobrou para Danilinho, impedido, empurrar para o fundo do gol. O árbitro consultou o bandeira e acertou ao invalidar a jogada. Três minutos depois os anfitriões fizeram mais um, dessa vez em condições legais. Eder Luis recebeu na área, girou sobre a zaga palmeirense e soltou a bomba, sem chances para o goleiro Diego Cavalieri.

A reação não demorou. Aos oito minutos, Martinez bateu falta na lateral do campo. A bola passou por jogadores dos dois times e entrou direto no gol de Édson. Depois do empate o Palmeiras recuou e permitiu o avanço do Atlético, que só não marcou porque Dininho e Diego Cavalieri salvaram o time em pelo menos três oportunidades.

No segundo tempo os ânimos voltaram acirrados. Em quatro minutos dois jogadores do Atlético levaram cartão amarelo: Vanderlei, por simular um pênalti, e Marcos, após cometer falta dura em Valdívia. Aos seis minutos, um lance bizarro. Em jogada de linha de fundo na área do Palmeiras, a bola sobrou para Vanderlei que, sem goleiro e na pequena área, chutou para fora. O árbitro marcou impedimento no lance. Aos 11 minutos veio a virada do Palmeiras. Martinez recebeu de Edmundo na entrada da área e bateu cruzado.

O Atlético sentiu o gol e tentou reagir, mas as traves estavam do lado do Palmeiras. Aos 20 minutos, Bilu soltou a bomba, Diego toca na bola com a ponta dos dedos e ela bate na trave. Seis minutos depois foi a vez de Coelho chutar com força e a bola bater no travessão. Em outro lance polêmico, Nen fez falta perto da pequena área e os mineiros pediram pênalti. O árbitro marcou apenas falta. Os anfitriões praticamente não chegaram mais ao gol dos paulistas.