Os últimos resultados ruins do Barcelona tem refletido no ambiente dentro do clube. Se o time catalão ainda não vive uma crise, ninguém esconde que a derrota para o Milan – pela Liga dos Campeões – e as duas diante do Real Madrid – pelo Campeonato Espanhol e pela Copa do Rei – incomodam. O volante Mascherano confirmou isso nesta terça-feira, ao dizer que o clima por lá passou “de Disney a casa do terror”.

“Há três semanas parecia que o Real que estava se queimando. Isso aqui (Barcelona) parecia a Disney e agora é a casa do terror. É mais fácil analisar os últimos 15 dias do que os últimos cinco anos. O êxito te deforma, te faz crer que é mais importante do que realmente é. O que temos que analisar é o jogo e não estivemos à altura nestas três partidas. Temos que recuperar”, declarou.

Entre os motivos apontado por Mascherano para a má fase da equipe está o afastamento de Tito Vilanova, que passa por tratamento após retirar um tumor na garganta. Apesar de exaltar o comportamento do auxiliar Jordi Moura, que tem comandado o Barça, o volante argentino não escondeu a falta que sente do treinador.

“O Roura tem a valentia suficiente para ocupar o cargo e por parte do grupo há uma admiração por ele. Não significa que porque o Tito foi afastado começamos a perder. Em alguns momentos sentimos falta, mas aqui estamos tratando de colocar fim nesta situação”, comentou.

Para o volante, o sucesso do Barcelona nas últimas temporadas, quando se tornou o melhor time do mundo e praticamente dominou o cenário europeu, também tem sido prejudicial. Ele avaliou que qualquer resultado abaixo do alcançado pelo clube nas últimas temporadas traz uma pressão exagerada sobre os jogadores.

“Esta equipe não se cansou de ganhar, não há esta relação. Se há um lugar com pressão é este. Perdemos duas partidas e parece que o mundo vai acabar. É uma questão de confiança que está nos traindo um pouco. Temos que voltar ao caminho certo”, afirmou. “Precisamos de serenidade e humildade para encontrarmos as coisas e voltar a ser a equipe que éramos há três semanas”, concluiu.