Sem ter pontuado nas últimas duas provas, Felipe Massa chega ao GP da Hungria com o objetivo de encerrar esse jejum e ser mais competitivo numa temporada em que vem acumulando resultados quase sempre abaixo da expectativa. Para interromper essa maré ruim, o brasileiro destacou o peso que o bom acerto aerodinâmico pode ter no desempenho no Hungaroring. Além disso, exibiu preocupação com o desgaste dos pneus.

“A pista é um lugar em que você precisa ter muito bom downforce, pelas retas curtas e várias curvas. É muito difícil para os pneus, por isso, se você tem um bom downforce, o carro vai funcionar bem para você nesta pista. Tudo somado, é uma corrida fantástica em uma cidade agradável e que eu gosto”, disse.

O Hungaroring, aliás, é um dos circuitos mais marcantes para Massa na Fórmula 1. Afinal, foi lá que o brasileiro sofreu o mais grave acidente da sua carreira, quando foi atingido na cabeça por uma mola que se soltou da suspensão do carro do também brasileiro Rubens Barrichello no treino de classificação do GP da Hungria de 2009.

O brasileiro, então, só voltou a correr na temporada 2010. E, claro, não deixou de lembrar daquele acidente nos dias que antecedem a realização de mais uma prova na Hungria, além de exaltar o apoio que recebe dos torcedores locais desde então.

“A Hungria é uma pista onde eu tenho muita história pessoal por causa do acidente que tive. Como consequência, tenho os mais incríveis fãs lá, que me apoiam muito. Eles me seguem onde quer que vá e sempre levam presentes para mim. É um lugar incrível para voltar”, afirmou.

Após dez das 21 etapas da temporada 2016 da Fórmula 1, Massa ocupa apenas a nona posição no Mundial de Pilotos com 38 pontos. As primeiras atividades do GP da Hungria serão realizadas na próxima sexta-feira, com o treino livre inicial agendado para as 5 horas (de Brasília) no Hungaroring.